20:42 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de novembro (90)
    0 0 0
    Nos siga no

    Ele está autorizado para maiores de 14 anos, mas idade cai para 13 anos se houver prestador de serviço médico no local.

    A Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA na sigla em inglês), emitiu uma autorização de emergência para o primeiro teste rápido do coronavírus que pode ser usado em casa e dar resultado em meia-hora, informou nesta quarta-feira (18) rede de TV a cabo CNN.

    O novo teste chama-se Lucira e utiliza amostras nasais. Ele está liberado para maiores de 14 anos de idade, mas também para jovens com 13 anos desde que aplicação seja realizada por um prestador de serviços de saúde.

    Outra vantagem do Lucira é que ele vai ajudar as pessoas a evitar longas filas à medida que os casos de coronavírus disparam em todo o país.

    E a autorização chega dias depois de outras notícias positivas sobre testes de vacinas de empresas farmacêuticas. A Moderna anunciou uma taxa efetiva de 94,5% de seu imunizante e a Pfizer disse que a empresa planeja registrar a autorização de uso emergencial para sua vacina.

    O teste tem uso único e utiliza uma tecnologia de amplificação molecular para detectar o vírus em pessoas com suspeita de COVID-19 e pode dar resultados em 30 minutos, disse a FDA. O Lucira procura por sinais do material genético do coronavírus.

    "Embora os testes de diagnóstico da COVID-19 tenham sido autorizados para coleta doméstica, este é o primeiro que pode ser totalmente autoadministrado e fornecer resultados em casa", disse o médico infectologista Stephen Hahn, comissário da FDA.

    O Lucira também está liberado para uso em locais de atendimento como consultórios médicos, hospitais, centros de urgência e salas de emergência para todas as idades, mas aí deve ser feito por um prestador, segundo a FDA. 

    "Esta nova opção de teste é um avanço importante no diagnóstico para enfrentar a pandemia e reduzir a carga pública de transmissão de doenças", acrescentou Hahn.

    Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), os Estados Unidos têm 246 mil mortos e 11,136 milhões de casos de coronavírus.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de novembro (90)

    Mais:

    Turquia anuncia início de testes clínicos de vacina contra COVID-19
    Boris Johnson testa negativo para COVID-19, mas continua em isolamento
    Reino Unido anuncia abertura de 2 novos 'megalabs' para testes de COVID-19
    Governadora interina de Santa Catarina testa positivo para COVID-19
    Tags:
    Pfizer, Estados Unidos, testes, COVID-19, Food and Drugs Administration (FDA), CDC
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar