00:28 01 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de novembro (90)
    0 20
    Nos siga no

    Ingresso no país não exige necessidade de cumprir quarentena. Porém, governo do Chile tornou obrigatória a apresentação de um exame de PCR com resultado negativo.

    Após o fechamento de suas fronteiras decretado em 17 de março, o Chile anunciou nesta quinta-feira (12) que vai permitir a entrada de turistas a partir de 23 de novembro.

    As informações foram publicadas pelo jornal Clarín.

    Por enquanto, os turistas só poderão entrar pelo aeroporto Arturo Merino Benítez, em Santiago do Chile. O governo chileno garante que com o arrefecimento da situaçao, outros terminais aéreos e portuários em todo o país devem ser abertos.

    Antes de embarcar para o Chile, os turistas devem preencher uma declaração que detalha sua origem e destino, assim como seu estado de saúde e a possível presença de sintomas de COVID-19. Além disso, é obrigatória a apresentação de um teste PCR com resultado negativo feito menos de 72 horas.

    O fechamento das fronteiras do Chile afetou a indústria do turismo, que já perdeu a temporada de esqui e agora espera superar as perdas milionárias com o início do verão.

    Segundo a Federação das Empresas de Turismo do Chile (Fedetur), em 2019 chegaram cerca de 4,5 milhões de visitantes estrangeiros. Durante a pandemia, metade dos empregos na indústria foram perdidos, o que equivale a 300 mil trabalhadores.

    Valle de la Luna, parte do Deserto do Atacama, no Chile.
    Daniel Marenco/ Expedição Fuscamerica/ Divulgação
    Valle de la Luna, parte do Deserto do Atacama, no Chile.
    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de novembro (90)

    Mais:

    Correspondente da Sputnik no Chile é ameaçada por grupos de extrema-direita
    Chile é atingido por terremoto de magnitude 5,8
    Novos documentos lançam luz sobre como EUA 'levaram' Pinochet ao poder no Chile em 1973
    Tags:
    fronteiras, turismo, COVID-19, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar