14:13 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    2132
    Nos siga no

    O diretor-geral para os Estados Unidos do Ministério de Relações Exteriores de Cuba, Carlos Fernández de Cossío, atacou a decisão de Washington de suspender os voos privados para a ilha. 

    “É uma medida de pouco impacto prático, mas que rejeitamos, pois brinca com as preocupações dos cubanos de ambos os lados do Estreito da Flórida e suas necessidades de contatos familiares”, afirmou Cossío.

    O representante da chancelaria cubana disse que a medida estadunidense visa satisfazer a máquina política eleitoral do sul da Flórida e "confirma o desprezo do imperialismo por cubanos e americanos de origem cubana".

    Na quinta-feira (13), os Estados Unidos proibiram os voos fretados privados para Cuba, com exceções limitadas, como quando se trata de viagens para fins médicos.

    As relações entre os EUA e Cuba foram intensificadas em 2014, quando o então presidente Barack Obama deu início a um processo de normalização diplomática com Havana, que teve como marco a reabertura recíproca de embaixadas em 2015 e a visita do presidente dos Estados Unidos a Cuba.

    Mas o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu acabar com essa política promovida por Obama e adotou diversas medidas para restringir o intercâmbio diplomático, turístico, comercial e cultural.

    Mais:

    EUA anunciam sanções contra instituição financeira e 3 hotéis de Cuba
    Antiga cidade subaquática teria sido encontrada na costa de Cuba
    Cuba considera proposta de Trump de vender Porto Rico como 'evidência' de desprezo
    Cuba anuncia ausência de transmissão local de COVID-19
    Novo surto de COVID-19 em Cuba com 59 novos casos relatados
    Tags:
    voos, embargo, Estados Unidos, Cuba
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar