10:49 01 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    26807
    Nos siga no

    O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, reiterou o aviso aos EUA depois que a Casa Branca o acusou de narcoterrorismo e ofereceu uma "recompensa" milionária por sua captura.

    "Há uma rejeição, mesmo nos próprios EUA, pela atitude extravagante de 'cowboy' do governo de Donald Trump, colocando a nossa cabeça a prêmio, como se estivéssemos no extremo oeste do século XIX […] Não nos sentimos ou seremos intimidados por qualquer agressão do império americano", declarou o líder bolivariano em declaração à imprensa do Palácio Miraflores, em Caracas.

    "Se tocarem em um fio de cabelo de qualquer um de nós, o povo já tem os seus planos. A união civil-militar tem o seu plano. A fúria bolivariana tem seus planos diante de qualquer agressão americana", complementou Maduro, citado pela emissora de rádio Alba Ciudad.

    "Essa seria a resposta nacional a internacional a qualquer reação extravagante e brutal do império norte-americano, e eles sabem disso", comentou Maduro.

    As palavras do presidente venezuelano seguiram a visita do novo embaixador da Rússia na Venezuela, Sergei Melik-Bagdasarov, com o qual ele se reuniu. Maduro afirmou que durante a reunião, o diplomata russo ratificou a rejeição e a condenação de Moscou pela "intensificação das sanções e agressões" contra o governo presidiado por Maduro.

    Presidente venezuelano, Nicolás Maduro durante reunião com presidente russo, Vladimir Putin
    © Sputnik / Yevgeny Biyatov
    Presidente venezuelano, Nicolás Maduro durante reunião com presidente russo, Vladimir Putin

    Na quinta-feira (26), o procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, lançou acusações contra Maduro e vários altos funcionários venezuelanos, alegando que eles estavam envolvidos no tráfico de drogas.

    O Departamento de Estado anunciou uma recompensa de US$ 15 milhões (R$ 75 milhões) por Maduro e US$ 10 milhões (R$ 50 milhões) pelo resto dos venezuelanos indicados na acusação. O procurador-geral americano recordou que os EUA não consideram Nicolás Maduro presidente da Venezuela.

    Mais:

    Maduro chama acusações da administração Trump sobre narcotráfico de falsas
    Maduro: Venezuela espera 2º avião da Rússia com suprimentos para ajudar a lutar contra COVID-19
    Acusação dos EUA contra Maduro é 'alerta claro de agressão direta', diz especialista
    Tags:
    EUA, narcotráfico, acusações, Venezuela, Nicolás Maduro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar