03:34 02 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    8111
    Nos siga no

    Departamento de Justiça dos EUA publicou acusação contra a gigante tecnológica chinesa Huawei de roubo de tecnologia de empresas americanas com fim de competição ilegal.

    A acusação, que tem como destino a Huawei, subsidiárias oficiais e não oficiais e a diretora financeira da gigante tecnológica de telecomunicações, Meng Wanzhou, que está com processo em andamento de extradição do Canadá aos EUA, sustenta que a Huawei se apropriou de tecnologia alheia de maneira bem-sucedida.

    Conforme publicado pelo próprio Departamento de Justiça dos EUA, a gigante chinesa de telecomunicações se apoderou de tecnologias de roteadores de Internet, antenas e de aparelhos de teste de robôs por meio de ex-funcionários de empresas rivais.

    "Como revelado por uma investigação independente do governo [dos EUA] e a revisão de ações judiciais, as novas acusações no caso se relacionam aos esforços de décadas da Huawei, e de muitas de suas subsidiárias, tanto nos EUA quanto na República Popular da China, de se apropriar indevidamente de propriedade intelectual de empresas, incluindo seis empresas de tecnologia dos EUA, em um esforço de aumentar e realizar o negócio da Huawei", diz o texto da acusação.

    Gratificações a funcionários

    Para incentivar ex-funcionários de empresas concorrentes a passarem segredos comerciais e tecnológicos para a Huawei, a gigante chinesa teria prometido gratificações financeiras.

    Além disso, a suposta estratégia teria como objetivo reduzir os custos da Huawei com o desenvolvimento de tecnologia própria e reduzir o tempo da criação de novos produtos.

    Envolvimento com Irã e Coreia do Norte

    Os EUA também acusam a empresa de cooperação com os governos norte-coreano e iraniano.

    "O presente indiciamento também inclui novas alegações do envolvimento da Huawei e suas subsidiárias com negócios e projetos tecnológicos em países alvos de sanções dos EUA ou da ONU, assim como o Irã e a Coreia do Norte", afirmou.

    Reação da empresa

    Segundo publicou a Bloomberg, a chancelaria chinesa aconselhou os EUA a "deixarem de atacar injustificadamente a Huawei e outras empresas chinesas".

    Além do mais, a Huawei afirma que tais acusações não apresentam fundamento.

    Mais:

    EUA apontam Rússia e China como principais ameaças no orçamento da Casa Branca para 2021
    Japão pretende desenvolver tecnologia ultrarrápida 6G até 2030
    'Huawei está mais comprometida com Europa do que nunca', garante executivo da gigante chinesa
    Tags:
    tecnologia, empresa, EUA, Telecomunicações, China, Huawei
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar