10:24 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, 10 de abril de 2018 (foto de arquivo)

    Chanceler da Venezuela pede que comunidade internacional exija fim da violência na Bolívia

    © AP Photo / Armando Franca
    Américas
    URL curta
    262
    Nos siga no

    O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, repudiou a repressão na cidade de El Alto, departamento de La Paz, na Bolívia, e instou a comunidade internacional a se pronunciar contra a ação das forças de segurança.

    "Mais repressão e mortes na Bolívia, graças ao golpe de Estado. Desta vez em El Alto. A comunidade internacional deve exigir aos governantes de fato e às forças policiais e militares bolivianas o fim imediato da repressão e da flagrante violação dos direitos humanos", escreveu Arreaza em sua conta no Twitter.

    Por sua parte, o presidente venezuelano Nicolás Maduro anunciou na terça-feira que conversou com o ex-presidente Evo Morales (2006-2019), a quem enviou uma mensagem de condolências pelos mortos durante os protestos registrados na Bolívia após sua saída do poder, em 10 de novembro.

    A saída de Morales do poder, seguindo a demanda das Forças Armadas e da polícia pelo relatório da Organização dos Estados Americanos (OEA) que mostra irregularidades nas eleições de 20 de outubro, gerou uma onda de protestos na Bolívia.

    Nas ruas, os cidadãos que exigem a volta de Morales e a renúncia da parlamentar Jeanine Áñez, que se proclamou presidente interina, três dias após a renúncia do presidente.

    Morales aceitou o asilo político oferecido pelo México e desse país denunciou que ele foi vítima de um golpe de Estado. Ele garantiu que renunciou para evitar um derramamento de sangue, após o saque de sua casa e o ataque à casa de sua irmã e outros políticos membros de seu gabinete.

    Mais:

    Presos na Bolívia, médicos cubanos foram liberados e voam rumo a Cuba
    Governo interino da Bolívia ameaça prender partidários de Morales por 'subversão e rebelião'
    Morales: Mesa, Camacho e Áñez temem que eu volte para pacificar Bolívia
    Tags:
    Organização dos Estados Americanos (OEA), golpe de Estado, renúncia, diplomacia, Nicolás Maduro, Jorge Arreaza, Evo Morales, México, Bolívia, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar