02:25 11 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Paulo Coelho durante encontro com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em Novo-Ogaryovo

    Paulo Coelho: Bolívia está na 'mira de rifles de uma elite inescrupulosa e sem vergonha'

    © Sputnik / Sergei Zhukov
    Américas
    URL curta
    203511
    Nos siga no

    O escritor brasileiro Paulo Coelho se manifestou sobre a atual situação da Bolívia e sobre o povo boliviano que toma as ruas contra o golpe de Estado, denunciando a repressão das Forças Armadas contra manifestantes.

    Em comunicado no Twitter neste sábado (16), o romancista se referiu ao país andino como um grande povo com uma cultura incrível, além de denunciar o silêncio das mídias internacionais diante da situação nas ruas bolivianas após a renúncia do ex-presidente Evo Morales.

    A publicação foi acompanhada de um vídeo no qual a polícia abre fogo contra civis para impedir a continuação de uma marcha pacífica.

    ​Bolívia: grande país, grande povo, uma cultura incrível, agora na mira dos rifles de uma elite inescrupulosa e sem vergonha. E o que é pior: o silêncio dos principais meios de comunicação internacionais

    Cena horrível em Sacaba hoje, depois que a polícia boliviana decidiu abrir fogo sobre civis, matando 4 pessoas na tentativa de impedir uma enorme marcha pacífica de chegar a Cochabamba. Mães chorando imploram a eles: "Parem de disparar! Por favor!". "Elas estavam voltando para casa do trabalho!", diz outro

    As palavras do escritor foram respondidas por Morales, que agradeceu sua solidariedade e apoio.

    ​Agradeço de todo o coração ao irmão Paulo Coelho pelas suas palavras de solidariedade e apoio à luta pacífica do nosso povo pela recuperação da paz social com democracia e pelo fim dos crimes contra a humanidade cometidos pelo golpe de Estado na Bolívia

    A situação da Bolívia se agravou drasticamente após o anúncio da vitória de Morales no primeiro turno das eleições da Bolívia e o não reconhecimento do resultado por parte da oposição, que classificou o pleito como fraude.

    Em meio aos violentos protestos que tomaram conta do país, o ex-presidente boliviano anunciou a renúncia após a exigência das Forças Armadas da Bolívia. Os poderes presidenciais foram temporariamente transferidos para a segunda vice-presidente do Senado, da oposição, Jeanine Áñez.

    Mais:

    Paulo Coelho pede desculpas ao povo francês pelo comportamento de Bolsonaro
    Governo interino da Bolívia adotará 'medidas constitucionais' para enfrentar protestos
    Número de mortos nos protestos na Bolívia sobe para 23, informa OEA
    Tags:
    golpe de Estado, Evo Morales, Bolívia, Paulo Coelho
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar