18:06 11 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Chanceler venezuelano Jorge Arreaza

    Chanceler venezuelano rebate Pompeo: EUA são liderados por 'elite guerreirista'

    © Sputnik / Yevgeny Odinokov
    Américas
    URL curta
    5121
    Nos siga no

    Segundo chanceler venezuelano, as recentes ações de Washington demonstram que a Casa Branca "não respeita os direitos internacionais nem os direitos humanos".

    O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, refutou as novas sanções impostas pelo Departamento de Estado dos EUA contra cinco funcionários venezuelanos, afirmando que os EUA são liderados por uma "elite guerreirista, supremacista e antidemocrática".

    Nesta quarta-feira (6), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, escreveu no Twitter sobre "Ordem Executiva bloqueadora de bens e interesses" da Venezuela.

    Em agosto, Donald Trump assinou uma Ordem Executiva bloqueadora de bens e interesses do regime ilegal de Maduro. Hoje [6 de novembro], identificamos cinco oficiais associados a Maduro sob esta Ordem Executiva para ajudar a responsabilizá-los por isso reforçando ações já tomadas por Canadá e União Europeia.

    Rebatendo o tweet do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, o chefe da chancelaria venezuelana escreveu sobre uma "elite guerreirista".

    ​O mundo identificou há décadas uma elite guerreirista, supremacista e antidemocrática, que governa Washington. Uma elite que não respeita o direito internacional nem os direitos humanos, cujos membros, mais cedo ou mais tarde, terão que prestar contas com a humanidade.

    As sanções tomadas implicam o congelamento de ativos e proíbem que cidadãos norte-americanos realizem transações ou forneçam serviços a indivíduos sancionados. Além do mais, os cinco venezuelanos sancionados estão proibidos de entrarem nos Estados Unidos.

    Mais:

    Maduro: 'querem desestabilizar Bolívia com mesma fórmula aplicada contra Venezuela'
    Venezuela expulsa diplomatas salvadorenhos de acordo com 'princípio de reciprocidade'
    Tags:
    Mike Pompeo, Nicolas Maduro, Jorge Arreaza, chanceler, sanções, EUA, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar