05:11 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Sebastián Piñera, presidente do Chile

    Após protestos, popularidade do presidente do Chile despenca para mínimo histórico

    © AP Photo / Oded Balilty
    Américas
    URL curta
    9180
    Nos siga no

    O apoio ao presidente do Chile, Sebastián Piñera, caiu para 14%, o menor índice já registrado no país desde o retorno à democracia há três décadas.

    A pesquisa, publicada pelo jornal La Tercera, fez entrevistas entre quarta e quinta-feira. O levantamento, portanto, foi realizado antes das manifestações de sexta-feira, quando um milhão de pessoas esteve nas ruas de Santiago para pedir mudanças no modelo social e econômico do país.

    Segundo o La Tercera, a taxa de aprovação de Piñera é a mais baixa desde o fim do regime militar do ditador Augusto Pinochet (1973-1990). O recorde anterior era de Michelle Bachelet, que era aprovada por 18% da população em março de 2016.

    O Chile, o maior produtor mundial de cobre, é uma das economias de mercado livre mais prósperas e estáveis ​​da região. Mas a desigualdade arraigada e os custos de vida crescentes provocaram protestos maciços e às vezes violentos na semana passada.

    Cenas semelhantes aconteceram em cidades de todo o mundo nos últimos meses, de Hong Kong a Beirute e Barcelona, ​​compartilhando a mesma raiva das elites dominantes, ressalta a agência de notícias Reuters.

    Os protestos começaram no Chile após o aumento no preço da passagem do metrô, medida que acabou cancelada pela pressão popular. Ainda assim, os manifestantes não deixaram as ruas e os protestos ganharam volume e 17 pessoas morreram em tumultos ligados aos atos e outras 7 mil foram presas. 

    Mais:

    Número de mortos durante protestos no Chile sobe para 19
    Congresso do Chile é evacuado após tentativa de invasão (FOTOS, VÍDEOS)
    Presidente do Chile diz que 'escutou mensagem' após protesto com 1 milhão de pessoas
    Toque de recolher termina no Chile e Piñera pede para todos ministros renunciarem
    Chile diz que protestos não o impedirão de sediar cúpulas globais previstas para 2019
    Tags:
    Sebastián Piñera, protestos, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar