01:11 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente boliviano, Evo Morales

    Morales promete 2ª turno se for encontrada fraude e convida Brasil para auditoria

    © REUTERS / Juan Carlos Ulate
    Américas
    URL curta
    13143
    Nos siga no

    O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse neste sábado (26) que se for constatada fraude nas eleições ele aceitaria a realização de um segundo turno, e convidou o Brasil e outros países a fazer auditoria dos votos. 

    "Escutamos as posições das chancelarias de Colômbia, Argentina, Brasil e Estados Unidos. Convido esses e outros países a participar da auditoria que propusemos. Que todas as atas sejam revisadas. Se, ao ser concluído o processo, for comprovada a fraude, vamos para o 2º turno", disse Morales por meio do Twitter. 

    Apesar da declaração, ele alertou que seus apoiadores em áreas rurais poderiam sitiar cidades caso a oposição continue contestando sua reeleição. 

    As eleições presidenciais bolivianas aconteceram no último domingo. Após 100% das urnas apuradas, Morales terminou com 47,08% dos votos, enquanto Carlos Mesa oteve 36,51%. Um candidato vence em primeiro turno se obtiver mais de 40% dos votos e uma diferença de 10 pontos em relação ao segundo candidato, ou se conseguir 50% dos votos mais um.

    Candidato à presidência da Bolívia, Carlos Mesa, participa de protestos em La Paz, em 22 de Outubro de 2019
    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Candidato à presidência da Bolívia, Carlos Mesa, participa de protestos em La Paz, em 22 de Outubro de 2019

    Durante a contagem, houve uma interrupção temporária da divulgação em tempo real do resultado, o que gerou acusações de fraude pela oposição.  Antes da suspensão, o resultado parcial sinalizava segundo turno.

    Morales vai para o seu 4º mandato como presidente boliviano, o mais longevo líder na América Latina.  Ele permanecerá no poder até 2025. 

    'Auditoria voto a voto'

    Após a virada na contagem dos fotos, houve manifestações nas principais cidades do país. Além disso, diversos países pediram uma recontagem dos votos para confirmar a lisura do pleito. O Brasil, maior parceiro comercial da Bolívia, disse que não reconheceria os resultados até que a OEA (Organização dos Estados Americanos) finalizasse sua audição da contagem de votos.

    Em discurso na cidade de Cochabamba, Molares disse mais uma vez que os países que questionavam a votação poderiam participar de uma auditoria. "Vamos fazer uma auditoria voto a voto", disse o presidente, segundo publicado pela agência Reuters. 

    'Vamos ver se podem aguentar'

    "Eu acompanharei [a audição]. Se houver fraude, no dia seguinte convocarei um segundo turno", acrescentou Morales, em comentários veiculados na emissora de televisão estatal. 

    Mais tarde, em outro evento realizado na cidade, ele lembrou aos adversários o apoio que possui nas áreas rurais do país. "Se eles querem greves, sem problemas. Vamos nos juntar a eles cercando cidades. Vamos ver se eles podem aguentar", afirmou.

    Mais:

    Próximo presidente da Bolívia enfrentará grande desafio para negociar com Bolsonaro, diz analista
    Manifestantes incendeiam centros eleitorais na Bolívia após anúncio da vitória de Morales (VÍDEOS)
    Venezuela acusa EUA de tentarem golpe na Bolívia
    Brasil, EUA, Argentina e Colômbia apoiam OEA e pedem 2º turno na Bolívia
    Tags:
    Evo Morales, Organização dos Estados Americanos (OEA), EUA, Argentina, Colômbia, Brasil, eleições, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar