15:08 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente boliviano, Evo Morales

    Evo Morales declara estado de emergência na Bolívia

    © REUTERS / Enzo De Luca/Cortesia da Presidência Boliviana
    Américas
    URL curta
    28904
    Nos siga no

    O governo boliviano convidou a UE e a OEA para verificar as urnas de todo o país depois das denúncias de fraude da oposição, que ele qualificou como "processo de um golpe de Estado".

    O presidente boliviano, Evo Morales, denunciou que seu país está sofrendo um processo de golpe de Estado, coordenado pela direita e com apoio internacional.

    "Eu denuncio perante o povo boliviano e o mundo que está em processo um golpe de Estado que foi preparado pela direita com apoio internacional. Faço um apelo aos organismos internacionais para defender a democracia", afirmou o líder boliviano.

    "Não vamos buscar o confronto, porém vamos defender a democracia", enfatizou.

    Anteriormente, o presidente convidou os observadores da União Europeia e da Organização dos Estados Americanos a verificar "uma por uma as urnas de todo o país", depois de seu principal opositor, Carlos Mesa, ter denunciado fraude na contagem dos votos.

    Segundo Morales, ele declarou o estado de emergência, embora sem definir seu alcance, ao mesmo tempo que apelou à sociedade para responder pacificamente, bem como convocou a comunidade internacional para defender a democracia boliviana.

    "Entendo o desespero da direita boliviana que não quer reconhecer o triunfo do voto indígena, como nunca reconheceu no passado", afirmou Morales, confiando no resultado oficial das eleições e afirmando que venceria no primeiro turno, como de fato aconteceu.

    Evo Morales venceu as eleições no primeiro turno com 46,86% dos votos, enquanto seu opositor, Carlos Mesa, obteve 36,74%.

    Mais:

    Próximo presidente da Bolívia enfrentará grande desafio para negociar com Bolsonaro, diz analista
    Bolívia encarará 2º turno nas eleições presidenciais
    A conspiração contra Bolívar e a 'destruição' da nação venezuelana
    Tags:
    opositor, fraude, urnas, votos, presidente, eleições, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar