18:50 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Macri durante a cúpula dos Brics, em 2018.

    Macri retoma campanha presidencial com ato em Buenos Aires

    © Sputnik / Vladimir Astapkovich
    Américas
    URL curta
    227
    Nos siga no

    O presidente argentino, Mauricio Macri, disse a uma multidão de milhares de apoiadores neste sábado (28) que ele ainda pode vencer as eleições e tirar a vantagem nas intenções de voto da oposição.

    O evento, que atraiu multidões para o bairro de Belgrano em Buenos Aires, foi a primeira de 30 marchas pelo país sul-americano que Macri realizará como parte de sua campanha de reeleição.

    O primeiro turno das eleições acontecerá no dia 27 de outubro. 

    Depois de chegar de trem, Macri disse à multidão que entendeu a mensagem que os eleitores lhe enviaram nas eleições primárias.

    "Você não está sozinho", disse Macri. "Você está esperando que eu lhe diga que esta eleição pode ser revertida. É claro que pode."

    Macri perdeu terreno nas primárias de 11 de agosto para o candidato da oposição peronista, Alberto Fernández, que hoje é o favorito para ser o próximo presidente. Os resultados impressionantes das primárias — uma vantagem de quase 16 pontos de Fernandez — provocaram uma forte reação do mercado e o governo acabou aplicando controles cambiais para segurar o valor do peso. 

    Os eleitores de Macri seguravam balões azuis e brancos, agitavam bandeiras argentinas e exibiam cartazes dizendo "sim, nós podemos", o slogan que Macri usou em suas postagens nas redes sociais para angariar apoio para sua campanha.

    A marcha, que também contou com a presença de vários políticos importantes da coalizão de Macri, representa seu primeiro grande esforço de campanha desde sua derrota nas eleições primárias. Pesquisas recentes indicam que Fernández pode vencer as eleições no primeiro turno. 

    A próxima marcha da campanha de Macri está marcada para segunda-feira na província de Buenos Aires, com outras marcadas mais tarde nas províncias de Córdoba, Santa Fé e Entre Rios.

    Mais:

    Polícia da Argentina apreende surpreendente quantidade de objetos de 'tesouro nazi'
    Bolívia terá ajuda do Canadá e Argentina no combate a incêndios na Amazônia
    Acordo automotivo atrasa 10 anos em razão da crise econômica argentina, diz economista
    Por unanimidade, Câmara argentina aprova projeto que declara 'emergência alimentar' no país
    Não faz sentido ter petróleo se as multinacionais o levam embora, diz líder da oposição argentina
    Tags:
    Argentina, Mauricio Macri
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar