14:10 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente argentino Mauricio Macri votando nas primárias em Buenos Aires em 17 de agosto de 2017

    Moratória da Argentina dificultará acesso a crédito e reeleição de Macri, diz economista

    © AP Photo / Natacha Pisarenko
    Américas
    URL curta
    261
    Nos siga no

    O plano do governo do presidente argentino Mauricio Macri de parcelar sua dívida internacional irá dificultar possíveis financiamentos no futuro e trará dificuldades eleitorais. A avaliação é do economista e especialista em comércio internacional Welber Barral.

    O ministro da Fazenda da Argentina, Hernán Lacunza, informou nesta semana que Buenos Aires tentará uma renegociação de suas dívidas de médio e longo prazo. Já as dívidas de curto prazo não serão pagas no cronograma previsto.

    O Fundo Monetário Internacional (FMI) emprestou US$ 57 bilhões para a Argentina. É o maior empréstimo da história do fundo.

    Pós-doutor em Direito do Comércio Internacional pela Universidade de Georgetown, Barral lembra que a Argentina deu calote em sua dívida durante o mandato de Néstor Kirchner (2003-2007) e que a atual medida de Macri irá dificultar o acesso de Buenos Aires ao mercado de crédito internacional no futuro, assim como futuros planos de construção de infraestrutura. 

    "A situação macroeconômica da Argentina não é simples, ao contrário do Brasil, eles não têm grandes reservas internacionais", diz. 

    Ainda de acordo com Barral, a medida irá dificultar os planos de reeleição de Macri. O sócio-diretor da BMJ Consultores Associados analisa que a "expectativa" de uma melhora econômica com Macri não aconteceu porque o presidente, que assumiu em 2015, não conseguiu aplicar as medidas "ortodoxas que eram necessárias" e devido ao cenário econômico global e brasileiro.

    O primeiro turno da eleição presidencial argentina será em 27 de outubro. Já um possível segundo turno será em 24 de novembro.

    A chapa composta por Alberto Fernández e Cristina Kirchner venceu com ampla margem as prévias do pleito. 

    Mais:

    Fala de Bolsonaro sobre Argentina não é 'habitual ou desejável', diz ex-embaixador em Buenos Aires
    EUA estariam construindo base militar na fronteira entre Argentina, Brasil e Paraguai
    Banco Central argentino: agosto e setembro serão marcados por aumento de inflação
    Homem vs. fera: argentino luta corpo a corpo contra onça-parda para salvar cachorro
    Argentina pede moratória ao FMI e Fundo relata encontro com Fernández
    Tags:
    Argentina, Mauricio Macri, Alberto Fernández
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar