03:05 22 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, passeiam após um almoço de negócios no âmbito da cimeira em 12 de junho de 2018, em Singapura

    Talvez mais tarde: Trump descarta ir a Pyongyang, espera que Kim vá aos EUA

    © AP Photo / Evan Vucci
    Américas
    URL curta
    751
    Nos siga no

    O relacionamento deles é "muito bom", mas o encontro com o líder Kim Jong-un na Coreia do Norte seria prematuro, afirmou o presidente estadunidense Donald Trump, após relatos de que recebeu um convite discreto de Pyongyang.

    Kim falou de sua "disposição" de receber Trump na capital norte-coreana em uma carta enviada à Casa Branca no final de agosto, de acordo com o jornal sul-coreano Joongang Ilbo, citando uma fonte diplomática não identificada.

    Washington ficou visivelmente mudo sobre o assunto até terça-feira, quando Trump quebrou seu silêncio e se dirigiu à mídia.

    O presidente disse que "provavelmente não" estaria disposto a ir para a Coreia do Norte em um futuro próximo, mas não descartou ir para lá em algum momento.

    "Eu faria isso [...] em algum momento no futuro", comentou Trump. "Não acho que esteja pronto para isso", acrescentou, pontuando ainda que Kim "adoraria vir para os Estados Unidos", sob certas circunstâncias.

    Trump e Kim realizaram duas cúpulas de alto nível desde junho do ano passado para discutir a desnuclearização da Coreia do Norte, suspender as sanções dos EUA e assinar um tratado de paz, mas houve uma falta de progresso substancial.

    Eles também se encontraram brevemente em junho na linha de demarcação entre as duas Coreias, mas a reunião - na qual Trump se tornou o primeiro presidente dos EUA a atravessar formalmente a fronteira com a Coreia do Norte - também foi amplamente simbólica.

    A tentativa de reiniciar as negociações de desnuclearização ocorre após a enxurrada de testes de mísseis balísticos e foguetes de Pyongyang, iniciados no final de julho. A Coreia do Norte diz que os lançamentos foram uma resposta aos exercícios conjuntos EUA-Coreia do Sul, que são amplamente vistos no Norte como um ensaio para invasão.

    O Estado recluso definiu suas condições para retomar as negociações. Pyongyang quer que os EUA removam todas as "ameaças e obstáculos que põem em risco a segurança do sistema e obstruem nosso desenvolvimento", disse uma importante autoridade do Ministério de Relações Exteriores nesta semana.

    Mais:

    Sul-coreanos detectam novos lançamentos de mísseis da Coreia do Norte
    Trump diz que Bolton foi um 'desastre' ao lidar com a Coreia do Norte e errou na Venezuela
    'Encorajador': EUA demonstram confiança pela disposição da Coreia do Norte em negociar
    Tags:
    desnuclearização, armas nucleares, relações bilaterais, diplomacia, Kim Jong-un, Donald Trump, Coreia do Norte, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar