01:40 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    O Secretário de Estado, Mike Pompeo, ao lado do presidente dos EUA, Donald Trump durante reunião de gabinete em Washington (agosto de 2018)

    EUA criam 'Grupo de Ação para Irã' para criar política de negociação com Teerã pós-sanções

    © REUTERS / Kevin Lamarque
    Américas
    URL curta
    147

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, revelou hoje a criação de um novo grupo de ação para o Irã para coordenar e dirigir a política de Washington em relação a Teerã, na esteira da retirada dos EUA do acordo nuclear de 2015.

    "Hoje tenho o prazer de anunciar a criação do Grupo de Ação para o Irã", disse Pompeo a repórteres. "O Grupo de Ação para o Irã será responsável por dirigir, revisar e coordenar todos os aspectos da atividade relacionada ao Irã do Departamento de Estado e se reportará diretamente a mim".

    O diretor de planejamento de políticas do Departamento de Estado, Brian Hook foi indicado como novo representante especial do Irã. Ele deve supervisionar a implementação de medidas diplomáticas quanto aos iranianos ao longo do governo Trump.

    "O Grupo de Ação para o Irã impulsionará os esforços para alcançar o objetivo dos EUA de mudar o comportamento de Teerã e garantir que o Departamento de Estado esteja em sincronia com outros parceiros inter-agências, enquanto persegue sua missão", disse Mike Pompeo.

    Além disso, o Grupo abordará todas as "manifestações da ameaça iraniana", motor de "instabilidade e violência" nas palavras de Hook. Para o representante, a "atividade desestabilizadora do Irã é ampla, mas inclui aspirações de desenvolver armas nucleares, seu apoio ao terrorismo, atividade cibernética maligna e a proliferação de mísseis balísticos".

    Antes da retirada dos EUA do acordo nuclear com o Irã, em maio, Hook lidava com as negociações com os países da União Europeia aliados dos EUA. O objetivo era chegar ao acordo de "tarifa zero" anunciado em julho  por Trump e pelo Comissário Europeu, Jean-Claude Juncker.

    As relações dos EUA com o Irã se deterioraram após a decisão de Washington de se retirar do histórico acordo nuclear de 2015, em maio, bem como com a reimposição de sanções à República Islâmica. O movimento unilateral foi contestado por outros signatários do acordo, que prometeram tentar salvar o compromisso assumido.

    Em 7 de agosto, os Estados Unidos oficializaram o primeiro pacote de sanções contra Teerã, que tem como alvo a compra de notas de dólares pelo Irã, o comércio de ouro e outros metais e transações envolvendo a moeda nacional. O segundo pacote está previsto para novembro, quando as exportações de petróleo e o setor de energia do Irã devem ser impactados.

    Em resposta à reimposição de Washington das sanções anti-iranianas, a União Europeia ativou seu Estatuto de Bloqueio, protegendo as empresas que negociam com o Irã de sofreram danos pela aplicação de sanções por um terceiro país. O objetivo é tentar resguardar empreendimentos europeus que convençam Teerã a permanecer no acordo mesmo sem os EUA.

    Tags:
    Estatuto de Bloqueio, Grupo de Ação do Irã, Departamento de Estado dos EUA, União Europeia, Brian Hook, Donald Trump, Jean-Claude Juncker, Estados Unidos, Teerã, Irã, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik