04:58 16 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    O residente dos EUA, Donald Trump, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, falam sobre as relações comerciais com o bloco europeu em coletiva no Jardim das Rosas da Casa Branca.

    Parlamentar do partido alemão AfD classifica acordo UE-EUA de 'vitória total para Trump'

    © REUTERS / Joshua Roberts
    Europa
    URL curta
    353

    O acordo comercial entre a UE e os EUA, alcançado durante as negociações entre o presidente Trump e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, é uma vitória para os EUA, que continuará a consolidar sua política de defender seus interesses em todo o mundo, afirmou o vice-presidente do partido alemão AfD, Dr. Roland Hartwig à Sputnik.

    "Eu considero o acordo alcançado entre os Estados Unidos e a União Europeia como uma vitória completa para Trump. Com certeza, evitar uma guerra comercial é benéfico para ambos os lados, mas tem um preço significativo para a União Europeia… Trump será encorajado a continuar com a sua abordagem de não procurar situações vantajosas para todos, mas de reforçar globalmente os interesses dos EUA", disse Hartwig.

    Ele também expressou sua preocupação de que a reforma das regras do comércio internacional abriria caminho para reforçar a posição dos Estados Unidos em detrimento da União Europeia e de outros países.

    Na quarta-feira, Trump e Juncker chegaram a vários acordos com o objetivo de evitar a disputa comercial crescente entre Washington e Bruxelas. As duas partes concordaram em trabalhar para a eliminação de todas as barreiras alfandegárias e não-tarifárias no comércio e a fortalecer a cooperação energética estratégica que prevê o aumento da oferta de gás natural liquefeito dos EUA para a Europa. Os dois líderes também concordaram em trabalhar para reformar a Organização Mundial do Comércio.

    As relações comerciais entre a UE e os EUA estão tensas desde a decisão da Trump de impor tarifas sobre as importações de aço e alumínio. A União Europeia procurou se eximir das restrições comerciais, mas, quando Washington se recusou a fazê-lo, introduziu suas próprias obrigações sobre os produtos americanos.

    Tags:
    AfD, Sputnik, União Europeia, Organização Mundial do Comércio, Roland Hartwig, Donald Trump, Alemanha, Bruxelas, Europa, Washington, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik