Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

União Europeia virou agressiva, adesão de Kiev agora não tem nada de inofensivo, diz Rússia

© Sputnik / Sergei PyatakovKremlin (no plano de frente) e Ministério das Relações Exteriores russo (à direita, no plano traseiro) em Moscou, Rússia, foto publicada em 7 de maio de 2022
Kremlin (no plano de frente) e Ministério das Relações Exteriores russo (à direita, no plano traseiro) em Moscou, Rússia, foto publicada em 7 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 13.05.2022
Nos siga noTelegram
O Ministério das Relações Exteriores russo condenou as ações dos países ocidentais e da União Europeia, comentando terem caráter agressivo contra a Rússia.
A União Europeia (UE) é agora uma entidade agressiva, pelo que a vontade de Kiev de aderir ao bloco não tem nada de inofensivo, falou na sexta-feira (13) Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, durante uma sessão do Conselho dos Ministérios das Relações Exteriores da Comunidade de Estados Independentes (CEI).

"Os colegas ucranianos falam publicamente que estão prontos para obter status de países-membro, status não nuclear, contra o que o presidente [Vladimir] Zelensky disse em janeiro na Conferência de Munique de que foi um erro se livrar das armas nucleares. No entanto, agora eles estão prontos para declarar status de não membro obtendo garantias fora do âmbito da OTAN, e à margem de outros blocos não políticos. Ao mesmo tempo, eles tentam enfatizar suas aspirações de se tornarem membros da União Europeia."

Lavrov sublinhou que "a inofensividade de tal vontade de Kiev é altamente duvidosa [...] tendo em conta que a União Europeia, de uma plataforma econômica construtiva [...] virou uma entidade agressiva e belicosa".
"Eles [países da UE] estão seguindo exatamente o caminho que a OTAN já está traçando, confirmando assim a tendência de que estão se fundindo com a Aliança do Atlântico Norte e servirão essencialmente como seu suplemento", afirmou o ministro das Relações Exteriores russo.
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, participa de reunião com seu equivalente armênio, o chanceler Ararat Mirzoyan, em Moscou, 8 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 29.04.2022
Panorama internacional
Lavrov: EUA e OTAN devem estancar fornecimento de armas caso queiram acabar com conflito na Ucrânia
Os países ocidentais também estão tentando fazer as outras partes do mundo se juntarem às sanções antirrussas, apontou Lavrov, que acredita que os EUA, a UE e a OTAN tentam aumentar sua influência na Ásia Central minando a Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC, na sigla em inglês), a CEI, a Organização para Cooperação de Xangai e a União Econômica Euroasiática.

"Aqui, claro, as sanções têm o papel de destruição destas ligações, e o Ocidente não esconde isso. Quando os americanos juntam países da Ásia Central em vários níveis, eles dizem abertamente para que não pensem em colaborar com a Rússia, e que a Rússia já é um país destruído, então apostem em nós. Estou praticamente citando [o que eles falam]", disse o ministro.

"Eles dizem o mesmo à China porque, como eles afirmam, a China não se atreverá a violar as sanções ocidentais. É uma posição invulgarmente arrogante, impudente e grosseira. É assim que eu chamaria as ações de nossos colegas ocidentais", comentou.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала