Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Governo da Espanha demite diretora do Centro Nacional de Inteligência por escândalo de espionagem

© AP Photo / Joan Mateu ParraPrimeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez (à direita), e o presidente da Catalunha, Pere Aragonés, durante fórum econômico em Barcelona, Espanha, 6 de maio de 2022
Primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez (à direita), e o presidente da Catalunha, Pere Aragonés, durante fórum econômico em Barcelona, Espanha, 6 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 10.05.2022
Nos siga noTelegram
A diretora do Centro Nacional de Inteligência (CNI), Paz Esteban, foi demitida pelo governo espanhol, nesta terça-feira (10), depois do escândalo de espionagem que tem perturbado a instituição nas últimas semanas.
A saída de Esteban ocorreu depois que um relatório do Centro Criptológico Nacional (CCN), dependente do CNI, confirmou a brecha de segurança que permitiu que o celular do primeiro-ministro, Pedro Sánchez, e os de pelo menos três ministros do seu gabinete: os chefes da Defesa, do Interior e das Relações Exteriores, fossem espionados.
Já antes o órgão responsável pela inteligência espanhola foi um foco das críticas, após a descoberta da espionagem a que tinham sido submetidas 65 figuras do movimento independentista catalão, incluindo todos os presidentes desta região desde 2010. Embora não se conhecesse o responsável, todos os olhares se concentraram no CNI.
De fato, a própria Estaban confirmou na semana passada, na Comissão de Segredos do Congresso dos Deputados, que o centro que ela dirigia havia interceptado os terminais de pelo menos 18 pessoas relacionadas com o independentismo, entre as quais estava o atual presidente da Catalunha, Pere Aragonés, que tinha sido espiado quando era vice-presidente. Além disso, teriam sido grampeados os telefones de outras dez pessoas desse círculo, já que o relatório apresentado continha dez nomes.
O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sanchez, telefona durante uma cúpula da UE em Bruxelas (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 02.05.2022
Panorama internacional
Governo da Espanha divulga que Pedro Sánchez teve celular espionado pelo spyware Pegasus
Todo esse escândalo de espionagem resultou em duras críticas provenientes da oposição, dos partidos catalães e, inclusive, do Unidas Podemos, parceiro minoritário dos socialistas no governo liderado por Sánchez. Durante estas semanas eles exigiram responsabilizar personalidades oficiais, inclusive a chefe do Ministério da Defesa, Margarita Robles.
O gabinete de Sánchez comprometeu-se a levar a cabo duas investigações, uma interna no seio do CNI e outra a cargo do Provedor de Justiça. Agora alguns acreditam que a cabeça de Esteban é um presente que pretende acalmar as águas, sobretudo perante o Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), o partido independentista que foi afetado pela espionagem e que até agora tinha sido parceiro do governo Sánchez.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала