Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Tribunal de Londres emite ordem de extradição de Julian Assange para os EUA

© AP Photo / Matt DunhamApoiadores do fundador do WikiLeaks Julian Assange participam de um protesto em Londres para apoiá-lo em uma audiência administrativa para seu caso de extradição, em 26 de novembro de 2020
Apoiadores do fundador do WikiLeaks Julian Assange participam de um protesto em Londres para apoiá-lo em uma audiência administrativa para seu caso de extradição, em 26 de novembro de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 20.04.2022
Nos siga noTelegram
Tribunal de Magistrados de Westminster em Londres emitiu ordem de extradição do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, para os EUA.
Assange ainda pode recorrer da decisão do tribunal que autoriza sua extradição para os Estados Unidos.
O tribunal de Londres tomou a decisão formal de extraditar Julian Assange para os Estados Unidos nesta quarta-feira (20). No entanto, a decisão final deve ser tomada pelo governo do Reino Unido.
WikiLeaks escreveu no Twitter que a equipe de defesa tem até 18 de maio para recorrer da decisão antes que a secretária do Interior, Priti Patel, tome sua decisão após a ordem emitida pelo tribunal.
Caso Assange seja extraditado para os EUA, onde é acusado de espionagem, ele pode enfrentar uma sentença de prisão de até 175 anos.
A editora-chefe do WikiLeaks, Kristinn Hrafnsson, disse que, ao emitir a ordem de extradição, o tribunal de Westminster assinou a sentença de morte de Assange.
"Extraditar Assange seria um risco para sua vida”, disse Hrafnsson às pessoas que haviam se reunido na frente do tribunal. "Seria igual a uma sentença de morte. Agora, a vida de Julian está nas mãos de Priti Patel e Boris Johnson. Eles precisam fazer a coisa certa".
Anteriormente, a equipe de defesa de Assange disse que o fundador do WikiLeaks poderia cometer suicídio se fosse extraditado para os EUA.
Stella Moris, noiva de Julian Assange, com manifestandes em frente da Suprema Corte em Londres, 10 de dezembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 10.12.2021
Panorama internacional
'Paródia da justiça': comunidade internacional reage ao veredicto sobre extradição de Assange
Em dezembro de 2021, o Supremo Tribunal de Londres aprovou o recurso dos EUA para extraditar Assange, anulando uma decisão anterior de que o jornalista não poderia ser extraditado devido a problemas de saúde e às condições desumanas que o aguardam em uma prisão americana.
Washington buscou a extradição de Assange ao país por acusações de espionagem depois que o WikiLeaks publicou milhares de documentos confidenciais revelando crimes de guerra cometidos por tropas dos EUA no Iraque e no Afeganistão.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала