- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Bloqueio do Telegram alavanca contas da família Bolsonaro no aplicativo

© Foto / Carolina Antunes / Palácio do Planalto / CCBY 2.0Presidente da República, Jair Bolsonaro, Senador Flávio Bolsonaro (PSL/RJ) em Brasília (foto de arquivo)
Presidente da República, Jair Bolsonaro, Senador Flávio Bolsonaro (PSL/RJ) em Brasília (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 22.03.2022
Nos siga noTelegram
Em quatro dias, presidente da República ganhou 183 mil novos seguidores na plataforma. Analista diz que decisão do bloqueio pelo Supremo, mesmo já tendo sido cancelada, causou "clima de guerra" entre os bolsonaristas.
Em uma reação um pouco diferente da esperada, os canais da família Bolsonaro no Telegram cresceram em alta porcentagem após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), na última sexta-feira (18), de suspender o aplicativo no Brasil.
A medida foi revogada no domingo (20), o que reforçou ainda mais a procura de usuários pelos canais da família.
Segundo a revista Veja, até a manhã desta terça-feira (22), o perfil do presidente Jair Bolsonaro (PL) já havia ganhado mais de 183 mil novos inscritos, um aumento de cerca de 17% em quase quatro dias. Na sexta-feira (18), aproximadamente 1,08 milhão de usuários recebiam as publicações de Bolsonaro no Telegram, agora, já são cerca de 1,27 milhão.
Em Brasília, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (PL), fala durante cerimônia, em 11 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 20.03.2022
Notícias do Brasil
Bolsonaro diz que bloqueio do Telegram não tem amparo na Constituição e no Marco Civil da Internet
Assim como o patriarca da família, seus filhos parlamentares também saíram ganhando com o abolido bloqueio.
De acordo com o portal UOL, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) registrou 11 mil seguidores a mais no período e chegou aos 100 mil inscritos, um aumento de 12,1%. O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), que tinha 77 mil inscritos até sexta-feira (18), ganhou dez mil seguidores – crescimento de 12,3%. Já o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) conquistou três mil seguidores, uma ampliação de 5%.

"A ação do [Ministro do STF] [Alexandre] Moraes causou um redemoinho nos grupos de extrema-direita. Se olharmos os efeitos políticos disso, a ação causa um clima de guerra nestes grupos, algo que alimenta a ação deles", analisou o coordenador do Laboratório de Humanidades Digitais que monitora articulações desta comunidade no Telegram, Leonardo Nascimento, citado pelo portal.

Mas não foi só o clã Bolsonaro que ganhou seguidores, em números bem mais baixos, outros candidatos à presidência do Brasil neste ano também alcançaram mais usuários.
O canal do ex-presidente Lula tem hoje pouco mais de 52 mil inscritos, quase quatro mil a mais que na sexta-feira, totalizando um acréscimo de 8%. Já os de Ciro Gomes (PDT), hoje com cerca de 19.700, e Sergio Moro (Podemos), com quase 5.900, ganharam aproximadamente 500 seguidores cada um nesse período, segundo a Veja.
Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, durante cerimônia no Palácio do Planalto, 25 de fevereiro de 2022. - Sputnik Brasil, 1920, 21.03.2022
Notícias do Brasil
'Crime': mesmo após revogação de bloqueio do Telegram, Bolsonaro volta a criticar decisão do STF
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала