- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Proposta de redução no desperdício de alimentos de Guedes é retórica e será abandonada, diz analista

© Foto / Edu Andrade / Ministério da EconomiaMinistro da Economia, Paulo Guedes, durante conversa com a imprensa, na sede do Ministério da Economia, no dia 28 de abril de 2021, em Brasília
Ministro da Economia, Paulo Guedes, durante conversa com a imprensa, na sede do Ministério da Economia, no dia 28 de abril de 2021, em Brasília - Sputnik Brasil, 1920, 18.06.2021
Nos siga noTelegram
O economista Mauro Rochlin, professor dos cursos de MBA da Fundação Getulio Vargas (FGV), explica à Sputnik Brasil porque proposta do ministro Paulo Guedes para reduzir o desperdício de alimentos é inviável.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou na quinta-feira (17) que é possível estabelecer ações contra o desperdício de alimentos reaproveitando comida que seria perdida para apoiar famílias em insegurança alimentar.

"O prato de um [cidadão de] classe média europeu, que já enfrentou duas guerras mundiais, são pratos relativamente pequenos. E […] fazemos almoços onde às vezes há uma sobra enorme. Isso vai até o final, que é a refeição da classe média alta, até lá há excessos […]. Toda aquela alimentação que não for utilizada durante aquele dia no restaurante, aquilo dá para alimentar pessoas fragilizadas, mendigos, desamparados. É muito melhor do que deixar estragar essa comida toda", disse Guedes durante o Fórum da Cadeia Nacional de Abastecimento, promovido pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

Em conversa com a Sputnik Brasil, o economista Mauro Rochlin, professor dos cursos de MBA da FGV, explica porque essa ideia do ministro é inviável.

© AP Photo / Andre PennerMoradora de Paraisópolis segura panela vazia em protesto contra a fome, São Paulo, 5 de abril de 2021
Proposta de redução no desperdício de alimentos de Guedes é retórica e será abandonada, diz analista - Sputnik Brasil, 1920, 18.06.2021
Moradora de Paraisópolis segura panela vazia em protesto contra a fome, São Paulo, 5 de abril de 2021

Medida inócua

Durante o evento, o ministro desenvolveu um pouco mais a proposta que tem em mente.

"A principal ideia é conectar a solução do problema do desperdício com o ataque direto à fome que é justamente objetivo das nossas políticas sociais. Precisamos facilitar a conexão entre as políticas sociais de um lado e o desperdício que ocorre do outro lado", disse Guedes.

​Mauro Rochlin explica que os bolsões de pobreza não se encontram nos principais centros urbanos e a distribuição desses alimentos seria inviável, o que torna a medida inócua.

"Não existem redes que permitam, de maneira sistemática e permanente, que essa sobra de alimentos possa ser canalizada das famílias de classe média para aquelas famílias de menor poder aquisitivo. Eu acho que a medida seria absolutamente inviável."

O professor da FGV acrescenta que não há logística capaz de viabilizar esse projeto, uma vez que as redes de distribuição não seriam possíveis de serem implementadas.

© Folhapress / Everton Silveira/Agência FreelancerVista do Cartão Bolsa Família, da Caixa Econômica Federal, que serve para o beneficiário do programa realize o saque mensal do valor do programa
Proposta de redução no desperdício de alimentos de Guedes é retórica e será abandonada, diz analista - Sputnik Brasil, 1920, 18.06.2021
Vista do Cartão Bolsa Família, da Caixa Econômica Federal, que serve para o beneficiário do programa realize o saque mensal do valor do programa

Proposta mais eficiente

Mauro Rochlin acredita que a medida se trata de "mera retórica do ministro", por isso crê que rapidamente a proposta será abandonada. O professor da FGV explica que o grande problema do Brasil não é a distribuição de alimentos.

"A questão não se refere exatamente à distribuição de alimentos, mas muito mais à distribuição de renda. Então, não trata de se considerar que o país é um grande produtor de alimentos e, portanto, todos deveriam estar bem alimentados. Se trata de se pensar essa questão dentro de outro enquadramento. O enquadramento correto seria se pensar a respeito de melhor distribuição de renda", explica.

Dessa forma, o Mauro Rochlin argumenta que há outras medidas muito mais eficazes do que a proposta do ministro da Economia.

"Acredito que programas sociais como Bolsa Família podem ser muito mais eficientes do que a distribuição de alimentos diretamente […]. Esses programas sociais, como Bolsa Família e outros do tipo, são muito mais eficientes do que se pensar na distribuição de alimentos que sobram na mesa da classe média", garante o economista da FGV.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала