Democracia não é Coca-Cola: China diz que regras feitas no Ocidente não podem ser normas universais

© REUTERS / Shubing WangMinistro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, discursa em Pequim, China, 22 de fevereiro de 2021
Ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, discursa em Pequim, China, 22 de fevereiro de 2021      - Sputnik Brasil, 1920, 24.04.2021
Nos siga noTelegram
Chanceler da China disse esta sexta (23) durante videoconferência com representantes do Conselho de Relações Exteriores dos EUA que as regras estabelecidas pelos países ocidentais não podem ser normas para todo o mundo.

"Nos Estados Unidos, alguns falam repetidamente sobre o reforço da "ordem internacional baseada em regras. A questão é: que regras são essas? E quem as estabeleceu?", questionou Wang Yi, o ministro chinês.

"Se isso significa as regras feitas apenas pelos países ocidentais, então elas são feitas por apenas 12% da população mundial, e não devem ser as regras comuns para todos. A visão da China é clara – devemos defender o sistema internacional centrado nas Nações Unidas e a ordem internacional apoiada pelo direito internacional. Isto representa a aspiração comum de todos os países e o verdadeiro multilateralismo na prática", defendeu Wang Yi.

© AP Photo / Andy WongBandeiras nacionais dos EUA e da China
Democracia não é Coca-Cola: China diz que regras feitas no Ocidente não podem ser normas universais - Sputnik Brasil, 1920, 24.04.2021
Bandeiras nacionais dos EUA e da China

Ao mesmo tempo, o chefe da diplomacia da China indicou que, ultimamente, algumas pessoas tendem a descrever as relações entre Pequim e Washington como uma "confrontação entre democracia e autoritarismo".

"Mas a democracia não é Coca-Cola, a qual, com o xarope produzido pelos EUA, tem o mesmo sabor em todo o mundo. O mundo ficará sem vida e sem graça se houver apenas um único modelo e uma única civilização", afirmou o ministro chinês.

Anteriormente, Le Yucheng, vice-chanceler chinês, disse que a concorrência entre a China e os EUA é inevitável, mas Pequim insiste que esta seja saudável. Ele notou que a China e os EUA são as duas maiores economias do mundo, portanto, devem resolver suas relações.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала