Trump teria se recusado a dissuadir manifestantes no Capitólio em conversa com líder republicano

© Sputnik / Stringer / Abrir o banco de imagensParticipantes dos protestos de apoiadores do atual presidente dos EUA Donald Trump na entrada do Capitólio, Washington, EUA
Participantes dos protestos de apoiadores do atual presidente dos EUA Donald Trump na entrada do Capitólio, Washington, EUA - Sputnik Brasil, 1920, 13.02.2021
Nos siga noTelegram
Em 6 de janeiro, dia em que o Capitólio dos EUA foi invadido por manifestantes, o ex-presidente americano Donald Trump conversou por telefone com o líder republicano na Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy.

Naquele dia Trump se recusou a dissuadir seus apoiadores de atacar o Capitólio, mesmo quando foi "implorado" por McCarthy, informou nesta sexta-feira (12) a CNN citando legisladores informados sobre a conversa.

"Bem, Kevin, acho que estas pessoas estão mais transtornadas com a eleição do que você", teria dito o ex-presidente dos EUA a McCarthy em uma conversa que foi descrita pelas fontes como "um confronto de gritos".

Segundo a notícia, o líder republicano ficou furioso, dizendo a Trump que amotinados estavam invadindo seu escritório pelas janelas.

Parlamentares a par da conversa sustentaram que o ex-presidente não tinha intenção de pedir a seus apoiadores que abandonassem o Capitólio, mesmo quando os congressistas lhe imploraram para o fazer.

CNN informou que foi Jaime Herrera Beutler, membro da Câmara dos Representantes, a primeira a revelar sobre a briga entre Trump e McCarthy.

"Aquela linha aí demonstra para mim que ou ele não se importava, o que é motivo para impeachment, porque você não pode permitir um ataque em seu solo, ou ele queria que isso acontecesse e para ele isso estava OK, o que me deixa tão zangada."

Representante republicano de Ohio, Anthony Gonzalez, disse à CNN que acreditava que a recusa de Trump de dissuadir os apoiadores "fala" sobre sua "mentalidade".

"Ele não teve pena de ver seu inflexivelmente fiel vice-presidente ou o Congresso sob ataque da multidão que ele incitou. Aliás, parece que ele estava feliz com isso ou pelo menos gostou das cenas que foram horríveis para a maioria dos americanos por todo o país."

O ex-presidente dos EUA é acusado de "incitação à insurreição" por incentivar o ataque ao Capitólio. No entanto, ele nega a responsabilidade pelos atos violentos cometidos durante a invasão onde morreram cinco pessoas, insistindo que ele nunca quis ver violência nas ruas dos EUA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала