Rússia expulsa 3 diplomatas da UE por participarem de manifestações de apoio a Navalny

© Sputnik / Natalia Seliverstova / Abrir o banco de imagensO edifício do Ministério das Relações Exteriores russo na Praça Smolenskaya-Sennaya, em Moscou
O edifício do Ministério das Relações Exteriores russo na Praça Smolenskaya-Sennaya, em Moscou - Sputnik Brasil, 1920, 05.02.2021
Nos siga noTelegram
Nesta sexta-feira (5), a chancelaria russa informou ter classificado três diplomatas europeus da Alemanha, Polônia e Suécia como "personae non gratae", que devem sair em breve da Rússia.

De acordo com o comunicado publicado no site do MRE, o "embaixador do Reino da Suécia, advogado temporário dos assuntos da República da Polônia e o enviado da Embaixada da República Federal da Alemanha" foram convocados ao ministério russo.

Três diplomatas europeus da Alemanha, Polônia e Suécia foram considerados "personae non gratae" e em breve sairão do país, afirmou o Ministério das Relações Exteriores russo.

A decisão de expulsar os diplomatas europeus tem a ver com a participação dos mesmos em protestos sem autorização das autoridades em prol do opositor Aleksei Navalny, que decorreram em várias cidades da Rússia.

"Aos diplomatas foi apresentado protesto devido à participação registrada de funcionários diplomáticos dos consulados gerais do Reino da Suécia e da República da Polônia em São Petersburgo e da embaixada da República Federal da Alemanha em Moscou em ações não autorizadas em 23 de janeiro de 2021. Foi sublinhado que tais ações do lado deles são inaceitáveis e não correspondem ao status diplomático deles", conforme o comunicado.

"Foi exigida para eles [diplomatas] saída em breve do território da Federação da Rússia", afirmou o MRE russo.

A Rússia espera que as missões diplomáticas da Suécia, Polônia e Alemanha e todos os seus funcionários sigam rigorosamente as normas do direito internacional, declarou a chancelaria da Rússia.

Anteriormente, uma fonte em Moscou informou a jornalistas que um diplomata da Suécia participou de ações não autorizadas em São Petersburgo. A embaixada da Suécia afirmou que o funcionário estava apenas observando a marcha, de acordo com o jornal EU Observer, citando fontes da União Europeia.

Comentando a atitude de embaixadas estrangeiras com relação a ações não autorizadas na Rússia, a representante oficial do MRE russo, Maria Zakharova, declarou que Moscou examinará cada caso.

Sem autorização das autoridades, protestos decorreram em várias cidades da Rússia em 23 e 31 de janeiro e em 2 de fevereiro, quando a Justiça da Rússia substituiu a pena suspensa de três anos e meio de prisão contra o opositor russo Navalny por uma pena efetiva. Pouco depois, alguns países, inclusive EUA, Alemanha, França e Reino Unido, apelaram ao governo russo para soltar Navalny.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала