Marinha do Irã adquire 2 navios de guerra de fabricação nacional em meio a tensões com EUA (VÍDEO)

© AFP 2022 / EBRAHIM NOROOZI / JAMEJAM ONLINEOs navios iranianos fazem parte nas manobras no estreito de Ormuz (Uma foto de arquivo)
Os navios iranianos fazem parte nas manobras no estreito de Ormuz (Uma foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Na segunda-feira (11), o contra-almirante Alireza Tangsiri, atual comandante da Marinha do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês) declarou que a República Islâmica tinha "controle total" do golfo Pérsico, em meio das crescentes tensão entre Washington e Teerã.

Dois navios de guerra avançados e nacionalmente fabricados entraram ao serviço com a frota do sul da Marinha do Irã, no golfo de Omã, perto do estratégico estreito de Ormuz, conforme reporta a agência de notícias persa Mehr.

Uma das embarcações é a corveta lançadora de mísseis de alta velocidade Zereh, equipada com armamento sofisticado para "aumentar as capacidades de combate da Marinha" nas águas do sul da nação persa, de acordo com a agência.

A segunda consiste no carregador porta-helicópteros Makran, com 231 metros de comprimento, que é capaz de carregar até sete helicópteros e alguns veículos aéreos não tripulados.

O contra-almirante Tangsiri insistiu que os EUA "não têm opção a não ser a retirada da região do golfo", que é "a casa" do Irã e "dos países muçulmanos na região sul" da área.

Estas declarações ocorrem menos de uma semana depois da revelação de que o Irã possui uma base de mísseis ultrassecreta pertencente à Marinha do IRGC. Esta base, segundo o comandante Hossein Salami, será "uma das várias bases que abrigam mísseis estratégicos da Marinha [do IRGC]".

Em outro desenvolvimento também ocorrido na semana passada, imagens de satélite divulgadas pela empresa privada norte-americana Planet Labs mostram o que parece ser um centro de atividades de navios do IRGC no estreito de Ormuz.

Localizado entre o golfo Pérsico e o golfo de Omã, este estreito é um canal crucial para os produtores de petróleo, que o usam para transportar o seu produto do Oriente Médio para mercados ao redor do mundo.

Em dezembro do ano passado, o porta-voz do governo iraniano, Ali Rabiei, alertou os EUA contra o "aventureirismo extraterritorial", após um comunicado da Marinha norte-americana dizendo que o submarino da classe Ohio com propulsão nuclear USS Georgia e vários cruzadores tinham atravessado o estreito de Ormuz.

As tensões Teerã-Washington têm vindo a aumentar desde o início de janeiro de 2020, quando o major-general iraniano Qassem Soleimani foi assassinado em um ataque de drones autorizado pelo presidente dos EUA, Donald Trump.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала