Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Estudo de múmias de babuínos lança luz sobre reino africano perdido (FOTOS)

Nos siga no
O estudo das múmias de babuínos descobertas no Egito, na África, elucidou a localização do reino africano há muito esquecido, conhecido como Reino de Punte.

O Reino de Punte foi um dos principais parceiros comerciais do antigo Egito, fornecendo incenso, ouro, peles de leopardo e babuínos sagrados. Há mais de 150 anos, os cientistas seguem discutindo a localização do reino perdido.

Uma equipe de pesquisadores pode ter resolvido o enigma ao identificar a origem geográfica de 155 babuínos mumificados, recuperados de túmulos e templos egípcios antigos, a partir de 77 diferentes lugares entre a África Oriental e o sul da Arábia Saudita. Os resultados foram publicados na revista científica eLife.

O estudo focou em múmias do período do Império Novo (de 1550 a 1069 a.C.) e do Período Ptolomaico (de 305 a 30 a.C.). As espécies foram fornecidas pelo Museu Britânico e pelo Museu Petrie de Arqueologia Egípcia da Universidade de Londres (UCL), no Reino Unido.

"Muitos cientistas veem o comércio entre o Egito e Punte como o primeiro passo marítimo para rede comercial conhecida como a rota das especiarias, que desenvolveu fortunas e sorte geopolítica por milênios", comentou Nathaniel J. Dominy, chefe de pesquisa e professor de antropologia da Faculdade de Dartmouth, nos EUA.

"Outros cientistas dizem isso mais simples, descrevendo as relações entre Egito e Punte como o início da globalização econômica. Os babuínos eram centrais nesse comércio, então a determinação de localização do antigo reino é importante", explicou Dominy.

O novo estudo é o primeiro a observar que babuínos mumificados podem prover dados importantes para discussão sobre localização do reino perdido.

CC BY-SA 4.0 / Curadores do Museu Britânico / Espécime EA6736 recuperado do Templo do Novo Reino de Tote e acessado no Museu Britânico
Estudo de múmias de babuínos lança luz sobre reino africano perdido (FOTOS) - Sputnik Brasil
Espécime EA6736 recuperado do Templo do Novo Reino de Tote e acessado no Museu Britânico

Os pesquisadores analisaram isótopos de oxigénio e estrôncio, encontrados em restos embalsamados, para determinar que os babuínos provavelmente vieram de uma área que hoje cobre territórios modernos da Etiópia, Eritreia, Djibuti, Somália e do Iêmen.

A análise também revelou que pelo menos cinco babuínos estudados residiram no Egito em um tempo anterior ao de sua morte, o que significa que egípcios executaram um programa de reprodução em cativeiro.

Outros dois babuínos nasceram fora do Egito, e provavelmente vieram da Etiópia, Eritreia, ou da Somália, limitando a área de localização de Punte.

​O reino, há muito tempo perdido, pode ter sido encontrado devido aos restos mortais de babuínos mumificados.

Os animais são da espécie Papio hamadryas e desempenharam um importante papel no Egito antigo, pois eram considerados sagrados para o deus egípcio Tote, deus da Lua e da sabedoria.

No entanto, os cientistas afirmaram que a localização do Reino de Punte ainda permanece provisória.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала