Aliança Noruega-EUA: estaria Washington preparado para guerra no Ártico?

© Sputnik / Valeriy Melnikov / Abrir o banco de imagensQuebra-gelo Yamal durante exploração ártica no mar de Kara
Quebra-gelo Yamal durante exploração ártica no mar de Kara - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os Estados Unidos estariam unindo forças com a Noruega para combater a influência da Rússia no Ártico, escreve a revista The National Interest.

O aumento das atividades dos EUA na região foi impulsionado pelas alterações climáticas. O degelo criou novas rotas comerciais indisponíveis anteriormente. O aumento das atividades e o reforço da presença militar são uma forma de lutar pela região estratégica.

A aliança militar entre os EUA e a Noruega no Ártico poderia ser de máxima importância, visto que o Pentágono tem interesse em se opor aos avanços visíveis e conhecidos da Rússia no Ártico.

Rússia não só possui um grande número de quebra-gelos, mas também opera em várias passagens ao longo da Rota Marítima do Norte que fazem fronteira com a Rússia e o Ártico, aponta a revista The National Interest.

É por essa razão que foram recentemente realizados exercícios conjuntos entre EUA e Noruega denominados Exercise Reindeer II. Soldados conduziram operações de combate em condições de temperaturas negativas.

CC0 / Departamento de Defesa dos EUA / Fuzileiros navais dos EUA na Noruega participam dos exercícios Cold Response
Aliança Noruega-EUA: estaria Washington preparado para guerra no Ártico?  - Sputnik Brasil
Fuzileiros navais dos EUA na Noruega participam dos exercícios Cold Response
O plano inicial visava aumentar a presença dos EUA no Ártico até 2030. No entanto, o degelo fez com que Washington acelerasse o processo, impulsionado também pelo grande número de exercícios da Rússia no Ártico, bem como por uma rede desenvolvida de bases militares.

Em janeiro de 2021, o 3º Batalhão do 6º Regimento de Fuzileiros Navais dos EUA retornará à Noruega como parte das forças rotacionais da Marinha dos EUA na Europa (MRF-E, na sigla em inglês) a fim de implantar aproximadamente mil fuzileiros navais e marinheiros, segundo aponta relatório do Corpo de Fuzileiros Navais norte-americano.

Em meados de novembro, a empresa russa Atomflot comunicou que o mais potente quebra-gelo do mundo Arktika havia iniciado a sua primeira travessia ao longo da Rota Marítima do Norte.

O quebra-gelo Arktika, primeiro navio do projeto 22220, foi incorporado à frota russa de quebra-gelos nucleares em outubro deste ano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала