Jornalistas detidos da Sputnik Letônia e Baltnews são libertados, mas não podem deixar residência

© Sputnik / Aleksandr KryazhevLogo da agência de notícias Sputnik
Logo da agência de notícias Sputnik - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os jornalistas que colaboram com a Sputnik Letônia e Baltnews foram libertados, com impedimento de sair do local de residência, os advogados estão tratando de sua situação, avança a Sputnik Letônia.

Anteriormente foi comunicado que os jornalistas letões de língua russa, inclusive os que cooperam com o portal Baltnews e Sputnik Letônia, foram acusados de alegadamente terem violado o regime de sanções da União Europeia.

Os jornalistas foram alvo de buscas, tendo sido agora libertados com impedimento de sair do local de residência sem a permissão das autoridades.

A Sputnik Letônia e Baltnews pertencem ao grupo midiático Rossiya Segodnya, no entanto os jornalistas letões que escrevem para esses meios de comunicação não integram o pessoal da agência, sendo apenas autores independentes.

Nesta quinta-feira (3) os jornalistas tiveram seus equipamentos e aparelhos de comunicação confiscados como parte de uma ação na qual são acusados de violar, com o seu trabalho, o regime de sanções da União Europeia. Isso porque o diretor-geral da agência, Dmitry Kiselev, é alvo de sanções pessoais do bloco europeu.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia condenou as ações das autoridades da Letônia contra os jornalistas, designando-as de "flagrante exemplo de violação de dois fundamentos de uma sociedade democrática – a liberdade de imprensa e de expressão".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала