06:42 22 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    1718
    Nos siga no

    Os funcionários da Sputnik Letônia e Baltnews foram acusados de supostas violações de sanções da União Europeia nesta quinta-feira (3).

    Foi relatado que os funcionários das agências Sputnik Letônia e Baltnews foram revistados e os seus equipamentos confiscados. 

    "Cidadãos letões são acusados ​​de violar o regime de sanções por conta de seu trabalho para a agência Rossiya Segodnya [à qual pertence a Sputnik]. De acordo com a Letônia, Lituânia e Estônia, a Rossiya Segodnya está sujeita a sanções pessoais da União Europeia impostas ao diretor-geral da agência, Dmitry Kiselev, em 2014. Os funcionários dos sites foram revistados, equipamentos e comunicações foram confiscados. Após interrogatórios, foi feita uma assinatura de sigilo", informou a Sputnik Letônia.

    De acordo com a publicação, a acusação diz respeito ao Artigo 84 do Código Penal da Letônia, que trata da violação do regime de sanções da União Europeia, passível de punição que pode ser desde uma multa pecuniária até a prisão.

    No final de 2019, a Sputnik Estônia foi pressionada pelas autoridades do país a encerrar suas operações. Na ocasião, as autoridades também citaram as sanções da União Europeia impostas a Dmitry Kiselev. No entanto, o próprio portal não apareceu em nenhuma lista de sanções.

    Mais:

    Rússia aplica sanções de resposta contra UE pelo caso Navalny, diz Lavrov
    Putin no G20: é preciso que abandonemos protecionismo econômico e prática de imposição de sanções
    Rússia rechaça novas sanções dos EUA ligadas à Coreia do Norte
    Tags:
    Letônia, Sputnik, Sputnik News, Sputnik Letônia, sanções, união
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar