- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Moro pede ao STF que depoimento de Bolsonaro sobre PF seja presencial

© AP Photo / Eraldo PeresPresidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fala com ministro da Justiça, Sergio Moro, no Palácio do Planalto, Brasília, 17 de junho de 2019
Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fala com ministro da Justiça, Sergio Moro, no Palácio do Planalto, Brasília, 17 de junho de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ex-ministro da Justiça Sergio Moro pediu ao ministro Celso de Mello, do STF, que depoimento do presidente Jair Bolsonaro sobre sua suposta interferência na PF seja feito de forma presencial.

A solicitação, protocolada nesta segunda-feira (5), foi feita por meio de petição assinada pelos advogados de Moro. As informações são da coluna de Fernando Molica, da CNN Brasil. 

Nesta segunda-feira (5), Celso de Mello pediu ao presidente da Corte, Luiz Fux, que inclua na pauta da Corte o julgamento sobre a forma do depoimento de Bolsonaro para a Polícia Federal, no âmbito da investigação que apura se o presidente tentou interferir no órgão. 

A Advocacia-Geral da União entrou com recurso para que o depoimento de Bolsonaro seja feito por escrito. Moro, por sua vez, defende que ele seja realizado de forma presencial.

Equidade de tratamento

Segundo os advogados do ex-ministro, Moro prestou depoimento presencial no mesmo inquérito, portanto, para manter a equidade no tratamento, Bolsonaro também deveria fazer o mesmo. Além disso, os advogados argumentam que o benefício não se aplica em caso de investigados e réus. 

O ex-juiz da Lava Jato alegou como motivo para sua demissão do Ministério da Justiça as tentativas de interferência do presidente na PF. 

Inicialmente, Celso de Mello, que antecipou sua aposentadoria do STF para 13 de outubro, determinou que Bolsonaro fosse ouvido presencialmente. No mês passado, no entanto, o ministro Marco Aurélio, que substituiu Mello durante licença médica, suspendeu o andamento do inquérito até que o plenário da Corte decidisse sobre a questão.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала