Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

An-2: a lenda voadora soviética que entrou para os recordes do Guinness

© Sputnik / E. Vilichinskyi / Abrir o banco de imagensAvião An-2
Avião An-2 - Sputnik Brasil
Nos siga no
Construída em 1947, a aeronave foi adotada principalmente na economia civil devido a sua versatilidade e simplicidade de produção e manuseamento, sendo também ideal para treinar pilotos.

O avião An-2, também conhecido como Colt ou Annushka, é uma aeronave leve monomotora e multiuso desenvolvida no final dos anos 1940 na URSS que continua em produção, apesar dos avanços na tecnologia aeronáutica desde então.

De facto, o avião detém o recorde do Guinness como a aeronave com o maior tempo de produção: mais de 70 anos com mais de 18.000 unidades fabricadas em dezenas de variantes, incluindo de passageiros, ambulâncias, combate a fogos, transporte, várias aeronaves de pesquisa e até mesmo veículos de medição do efeito estufa.

O início da lenda

A primeira ideia de criar um avião assim surgiu no início da década de 1930. Na época já havia aviões com decolagem e aterrissagem curtas, mas eram muito leves e não podiam realizar nenhuma missão de transporte séria. O cérebro por trás da ideia de construir uma aeronave assim foi Oleg Antonov, que queria criar um biplano monomotor. Mais tarde, começou a Segunda Guerra Mundial, que adiou seus planos.

Quando a guerra terminou e a atenção mudou para a recuperação econômica, a aeronave voltou a ser considerada, mas o avião "todo-o-voo", ou vezdelyot, em russo, não ganhou muita popularidade na comunidade aeronáutica, sendo considerado obsoleto já na época, devido a seu design ser semelhante aos da Primeira Guerra Mundial.

Acima de tudo, o avião não apresentava nenhuma inovação técnica, não sendo nem grande, nem rápido, e não voando alto.

No entanto, não sendo útil para a guerra, também os caças e bombardeiros existentes não eram eficientes na economia civil. O diretor do Escritório de Projetos Yakovlev, onde Antonov trabalhava, não quis prosseguir o projeto, que também não era de sua especialidade, mas lhe permitiu continuar este trabalho de forma independente.

Em 31 de maio de 1946, o Kremlin ordenou o desenvolvimento de uma aeronave leve e a formação do escritório de projetos n.º 153 na cidade de Novossibirsk, Sibéria. O escritório de projetos tinha apenas 20 funcionários, o trabalho de desenvolvimento era bastante complexo devido à falta de recursos e às constantes mudanças nos requisitos.

Em 1947, foi construído um modelo em escala real, e no verão do mesmo ano foi desenvolvido um protótipo funcional, chamado SKh-1, que fez seu primeiro voo em 31 de agosto.

Produção do An-2

Apesar das desvantagens, o An-2 era muito fácil de dirigir e podia facilmente realizar manobras consideradas extremamente arriscadas para a maioria dos aviões, podendo ser controlado com velocidades tão baixas como 50 km/h. A aeronave atingia uma velocidade de cruzeiro de 185 km/h e uma velocidade máxima de 260 km/h.

© Sputnik / E. Vilichinskyi / Abrir o banco de imagensPiloto voando em um biplano An-2
An-2: a lenda voadora soviética que entrou para os recordes do Guinness - Sputnik Brasil
Piloto voando em um biplano An-2

Apesar do sucesso dos voos de teste, houve sérios problemas relacionados com sua fabricação, por isso Nikita Khrushchev, o então líder da República da Ucrânia e futuro líder da URSS, insistiu que o avião fosse fabricado em Kiev, recebendo aí seu primeiro nome oficial: Antonov 2, ou An-2.

Após vários atrasos, a produção em massa do An-2 começou em 1953. A fábrica de aviação de Kiev montou 3.164 aeronaves deste modelo nos dez anos seguintes. A aeronave se tornou rapidamente um sucesso e várias outras fábricas iniciaram sua produção.

Em 1956, a China licenciou a produção do An-2 sob os nomes Fong Shu-2 e Yun-5, que ainda hoje são fabricados em pequenos lotes. O An-2 também foi montado na fábrica de aviação da PZL em Mielec, Polônia, a partir de 1959.

Curiosamente, foi esta fábrica que teve o maior tempo de produção: em 2002 entregou seu último An-2, atingindo um total de 11.915 unidades fabricadas, o que constitui a maior parte da frota de An-2.

Força do biplano

Em teoria, é considerada uma pequena aeronave leve, mas é grande para um biplano. Seu peso máximo de decolagem é de 5,5 toneladas, ele pode transportar até 12 passageiros ou 1,5 toneladas de carga.

O An-2 foi projetado no final dos anos 1940 para ser uma aeronave que pudesse ser operada desde qualquer lugar e mantida e pilotada por qualquer pessoa, devido ao pobre estado da rede de aeródromos e ao número de pilotos qualificados na época.

Sua fuselagem e elementos estruturais são completamente metálicos, mas a maioria de suas superfícies é feita de tecido, especialmente as asas e a empenagem, o que facilitava a inspeção e o conserto, além de ser um material mais leve que o metal. A maioria dos danos nas asas, arranhões e rasgos poderiam ser fixados imediatamente com ferramentas e conhecimentos de garagem. Assim, a simplicidade de manutenção do avião foi elevada ao máximo.

Para aumentar ainda mais seu desempenho, as asas são equipadas com dispositivos hipersustentadores bastante grandes, que permitem que o piloto faça quase tudo.

O An-2 ainda hoje é usado para treinar novos pilotos, usando um trem de pouso incrivelmente potente. Isso permite que 200 metros de pista sejam suficientes para aterrissar e decolar, e até menos.

O coração do An-2 é o motor radial de 9 cilindros ASh62IR de 30 litros e 1.000 cavalos de potência.

O propulsor é equipado com uma hélice de passo variável de quatro pás que permite controlar o empuxo e manter a velocidade de voo sem alterar as rotações do motor.

Os engenheiros levaram em conta que poderia haver falta de equipamento em terra para a aeronave, de modo que o An-2 não precisa dele ou o transporta com ele. Por exemplo, o avião tem sua própria bomba de combustível. Graças a ela, só é necessário que a equipe terrestre traga um barril de combustível e uma mangueira, pois o An-2 pode se reabastecer.

Atualizações

Devido a se ter tornado obsoleto em termos técnicos por ser uma produção de 1947, houve muitas modernizações desde então para atualizar o avião.

Entre as tentativas mais promissoras esteve a criação do An-3 com o motor turboélice TVD-20 de 1.375 cavalos de potência. A fábrica de aviação Antonov também desenvolveu uma nova versão, a An-2-100, propulsada pelo motor turboélice Motor Sich MS-14, que gera 1.500 cavalos de potência.

© Sputnik / Ramili Sitdikov / Abrir o banco de imagensVoos de demonstração de aviões multiuso leves soviéticos An-2
An-2: a lenda voadora soviética que entrou para os recordes do Guinness - Sputnik Brasil
Voos de demonstração de aviões multiuso leves soviéticos An-2

Além disso, a fábrica de Novossibirsk, que esteve na origem do projeto nos anos 1940, criou o An-2MS, ou TVS-2MS, usando motores Honeywell TPE-331-12 de 1.100 cavalos. Graças ao novo motor e à substituição de alguns elementos por alternativas de materiais compostos, a aeronave se tornou mais leve e seu desempenho em voo melhorou.

O próximo passo foi criar um demonstrador de tecnologia baseado no An-2: o TVS-2DTS, que fez seu primeiro voo no verão de 2017 e foi apresentado ao público na feira aeronáutica MAKS 2017.

O avião tem o mesmo motor da Honeywell, mas seu design mudou. A aeronave recebeu uma fuselagem de materiais compostos e novos equipamentos de bordo. Na sua essência, é uma aeronave completamente nova: a única coisa que retém do An-2 original é a configuração geral.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала