13:51 19 Maio 2019
Ouvir Rádio
    H135 fotografado sobrevoando o mar.

    'Modernos, silenciosos e duráveis': Conheça os H135, novos helicópteros da Marinha

    © Foto : Helibras/Divulgação
    Brasil
    URL curta
    4213

    A Marinha do Brasil assinou contrato com a Helibras e encomendou três helicópteros H135, que substituirão os atuais Esquilo Biturbina (AS355). A ideia é utilizar as novas aeronaves na Antártica.

    O H135 é conhecido por fazer pouco barulho e ser uma aeronave durável. De acordo com a Helibras — única fabricante nacional de helicópteros — o modelo possui capacidade para até 8 passageiros, conta com dois motores Arrius 2B2PLUS, capacidade de voo por instrumentos e pode pousar em praticamente qualquer terreno.

    Comentando a aquisição, o diretor da revista Asas e especialista em Defesa e Aviação, Cláudio Lucchesi diz à Sputnik Brasil que pelas especificidades da Antártica, não se opera helicópteros monomotores. É justamente neste ponto que o H135 leva vantagem, apresentando mais segurança para os pilotos, melhorando as operações e aumentando a capacidade das aeronaves em serviço.

    "São helicópteros de tecnologia muito avançada, vários deles são máquinas líderes no mundo na categoria deles. O H135 é um modelo que tem mais 1300 unidades vendidas desde 1996, com 300 operadores em mais de 60 países", conta o especialista.

    • H135 sobrevoa o Rio de Janeiro.
      H135 sobrevoa o Rio de Janeiro.
      © Foto : Helibras/Divulgação
    • Parte externa do H135.
      Parte externa do H135.
      © Foto : Helibras/Divulgação
    • Parte interna do H135.
      Parte interna do H135.
      © Foto : Helibras/Divulgação
    • Parte interna do H135.
      Parte interna do H135.
      © Foto : Helibras/Divulgação
    • Parte interna do H135.
      Parte interna do H135.
      © Foto : Helibras/Divulgação
    1 / 5
    © Foto : Helibras/Divulgação
    H135 sobrevoa o Rio de Janeiro.

    O especialista pontua ainda que os helicópteros devem ser amplamente utilizados para transporte de pessoal dos navios até terra firme quando não houver condições de ancoragem, para análise de condições meteorológicas e demais trabalhos de pesquisa. Lucchesi também destaca a importância "fundamental" na manutenção da permanência brasileira no continente gelado.

    "Os países, para reivindicar participação de pesquisas científicas [na Antártica], têm por tratados internacionais a obrigação de manter uma presença por lá, que se dá por meio de uma base no continente. (…) E a manutenção da nossa base se dá através de aeronaves Hércules da Força Aérea Brasileira e dos helicópteros da Marinha", explica.

    As aeronaves vão passar por adaptações na fábrica da Helibras, em Itajubá (MG). A Marinha exigiu a instalação de gancho, flutuador, guincho e radar meteorológico. O modelo já integra as Forças Armadas de países como Alemanha, Austrália, Espanha Japão e Reino Unido.

    Tags:
    H135, Helibras, Revista Asas, Marinha do Brasil, Força Aérea Brasileira (FAB), Airbus, Cláudio Lucchesi, Itajubá, Antártica, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar