Erdogan diz que abriu fronteiras com a UE aos refugiados sírios

© REUTERS / Gabinete de imprensa presidencial /HandoutPresidente turco Tayyip Erdogan durante reunião no Parlamento em Ancara, Turquia, 5 de fevereiro de 2020 (foto de arquivo)
Presidente turco Tayyip Erdogan durante reunião no Parlamento em Ancara, Turquia, 5 de fevereiro de 2020 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse que propôs ao presidente russo, Vladimir Putin, deixar a Turquia tratar diretamente com as autoridades sírias.

Em declaração feita em Istambul, Turquia, Erdogan disse:

"A questão síria não é de forma alguma um jogo [militar] ou um desejo de expandir nossas fronteiras. Entramos lá não a convite de Assad, mas a convite do povo sírio. E enquanto o povo não nos pedir para sair, nós não sairemos. Eu disse a Putin: nos deixe cara a cara com o regime [sírio], e nós iremos fazer o que for necessário."

Ao mesmo tempo, Erdogan declarou que abriu as fronteiras de seu país com a União Europeia aos refugiados sírios.

"Nós já vínhamos dizendo há muito tempo que não somos obrigados a aceitar tamanho número de refugiados. Vocês [a UE] nos prometeram assistência, mas não estão fazendo nada, então abrimos nossas fronteiras ontem [28]. 18.000 refugiados já passaram [pela fronteira], e hoje [29] esse número será de 25.000 a 30.000, e nós não vamos fechar nossas portas porque a UE deve manter sua palavra", acrescentou o presidente.

Ainda segundo Erdogan, na Turquia já se encontram 3,7 milhões de sírios e o país não poderá aceitar uma nova onda de refugiados, noticiou a agência Anadolu.

Enquanto isso, a Grécia impediu a entrada "ilegal" de 4.000 imigrantes vindos da Turquia, segundo a agência AFP.

'Saiam do caminho da Turquia'

Ao comentar uma conversa telefônica que teve com o presidente russo, Erdogan afirmou:

"Eu perguntei abertamente a Putin: o que vocês estão fazendo em Idlib? Se querem construir uma base militar, então construam, mas saiam do caminho da Turquia".

Tensões

Ao passo que a diplomacia russa tenta acordar um cessar-fogo duradouro para a guerra na Síria, ultimamente têm sido registrados violentos embates entre as forças do presidente Bashar Assad e militares turcos, em particular na província síria de Idlib. A Turquia já perdeu dezenas de militares nos combates nesta província.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала