Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Senado dos EUA produz relatório crítico a práticas editoriais da Sputnik

© Sputnik / Evgenia Novozhenina / Abrir o banco de imagensAgência Sputnik
Agência Sputnik - Sputnik Brasil
Nos siga no
Em relatório produzido pelo Senado nomeado 'O ataque assimétrico de Putin à democracia na Rússia e na Europa: Implicações para a segurança nacional dos EUA', autoridades americanas criticam práticas editoriais de Sputnik.

O relatório de 206 páginas foi compilado pelo Comitê do Senado sobre Relações Exteriores, e é prefaciado com uma carta do senador democrata Ben Cardin.

De acordo com o texto, a Sputnik "pediu a um correspondente americano que explorasse possíveis conexões entre a morte do membro do Comitê Nacional Democrata Seth Rich e o vazamento de documentos internos da campanha de Hillary Clinton para a WikiLeaks, na tentativa de lançar dúvidas sobre a avaliação da Diretoria de Nacional Inteligência dos EUA (DNI) de que hackers de origem russa estavam por trás do vazamento".

Editora-chefe da agência de notícias Sputnik, Margarita Simonyan - Sputnik Brasil
Editora-chefe da Sputnik: 'Liberdade de expressão foi morta pelos que a criaram'
Seth Rich foi um funcionário do DNC encontrado morto fora de seu apartamento em Washington em julho de 2016. A polícia considerou a morte como resultado de um assalto e o assassino jamais foi encontrado. O caso tornou-se o epicentro das teorias da conspiração depois que a Fox News informou que a morte de Rich poderia ter sido associada ao vazamentos dos e-mails democratas.

O "correspondente americano" mencionado no relatório do Congresso é Andrew Feinberg, ex-repórter da Sputnik do período de dezembro de 2016 a 26 de maio de 2017. Após deixar o veículo, Feinberg escreveu vários artigos para diferentes veículos norte-americanos sobre como foi induzido a cobrir versões sem sentido de alguns fatos e a fazer perguntas capciosas a membros da Casa Branca. Ele foi demitido do escritório no dia em que, nas palavras do próprio, planejava pedir demissão.

"A afirmação de que fazer perguntas durante os briefings da Casa Branca teve como objetivo promover teorias de conspiração é sem sentido. Todas as consultas são feitas para obter a posição do governo sobre diferentes problemas".

A agência internacional de notícias Sputnik - Sputnik Brasil
Com ajuda da OTAN mídia britânica acusa Sputnik de propaganda
O texto do Senado menciona ainda a suposta tentativa da Sputnik em influenciar as eleições presidenciais francesas, mencionando artigo em que Macron era caracterizado como possível agente a favor de interesses americanos. A afirmação, porém, não é editorial, mas a reprodução das citações do congressista conservador francês Nicolas Dhuicq.

A reportagem original foca na carreira de Macron como banqueiro de investimentos na Rothschild & Cie Banque e em acusações de corrupção financeira que se seguiram ao seu desligamento do banco. A Sputnik, ao lado do canal de TV RT, prometeu travar uma batalha judicial contra o político em torno de acusações sobre a questão.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала