Rebeldes tomam capital do Iêmen

© REUTERS / Mohamed al-SayaghiUm menino olha para a câmera enquanto se senta nos destroços de uma casa destruída por um ataque aéreo liderado pelos sauditas nos arredores de Sanaa, Iêmen.
Um menino olha para a câmera enquanto se senta nos destroços de uma casa destruída por um ataque aéreo liderado pelos sauditas nos arredores de Sanaa, Iêmen. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os rebeldes houthis tomaram a capital do Iêmen, Sanaa, e decretaram o "fim da crise", de acordo com a imprensa local. O país do Oriente Médio está em guerra civil desde 2015.

Contrários ao atual presidente, Abd Rabbuh Mansur Hadi, os rebeldes houthis apoiavam o ex-mandatário Ali Abdullah Saleh, mas ele ensaiou mudar de lado e foi morto pelos seus antigos aliados nesta segunda-feira (4).

Saleh havia prometido uma "nova página" na sua relação com a coalizão internacional liderada pela Arábia Saudita — responsável por apoiar o presidente Hadi e bombardear os rebeldes houthis.

Seguidores do movimento Houthi em manifestação de repúdio à interferência estrangeira nos assuntos internos do Iêmen em Sanaa - Sputnik Brasil
Correspondente da Sputnik no Iêmen desaparece
Hadi, então, fez um discurso na televisão pedindo que o país se una para combater os rebeldes houthis e ordenou que seu exército retome a capital, afirma a agência de notícias AFP.

A Cruz Vermelha diz que apenas na última noite o conflito em Saana custou a vida 125 pessoas e deixou outros 238 feridos.

Ainda nesta segunda, o primeiro-ministro do Iêmen, Ahmed bin Daghr, ofereceu anistia para quem abandonar os rebeldes houthis. 

O conflito entre os ex-aliados, houthis e apoiadores do ex-presidente Saleh, já dura dias na capital do Iêmen e começou após os rebeldes tentarem tomar a principal mesquita da cidade.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала