Trump não certifica acordo nuclear com o Irã e acusa Teerã de 'patrocinar o terrorismo'

© REUTERS / Eduardo MunozDonald Trump, presidente dos Estados Unidos, em discurso na 72ª Assembleia Geral da ONU
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, em discurso na 72ª Assembleia Geral da ONU - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Confirmando as expectativas, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta sexta-feira (13) que o Irã não cumpre os termos de seu acordo nuclear.

"Com base no histórico de fatos, estou anunciando que não podemos e não iremos fazer essa certificação", afirmou o mandatário republicano.

Caça da produção doméstica iraniana F-313 - Sputnik Brasil
Poderá Força Aérea do Irã vencer aviões dos EUA em uma guerra?
O Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), como é conhecido o acordo nuclear, estabelece condições para que o programa nuclear iraniano funcione com fins estritamente energéticos. O acordo foi assinado em 2015 por líderes dos Estados Unidos, Alemanha, China, França, União Europeia, Rússia e Reino Unido.

Os termos do acordo determinam que ele deve ser certificado a cada 90 dias pelo presidente dos Estados Unidos. A não certificação, contudo, não significa que o acordo está suspenso. 

O acordo, agora, irá voltar ao Congresso para decidir se ele será suspenso ou modificado. 

No discurso em que anunciou sua decisão, Trump disse o Irã violou as regras "várias vezes" e "não está cumprindo o espírito" do Plano de Ação Conjunto Global. Além disso, o mandatário acusou Teerã de envolvimento com organizações terroristas:

"O regime continua o principal patrocinador estatal do terrorismo e presta assistência à Al-Qaeda, Taliban, Hezbollah, Hamas, e outras redes terroristas."

A usina nuclear Bushehr no Irã - Sputnik Brasil
Rússia: Irã tem direito de sair do acordo nuclear se EUA reestabelecerem sanções
Trump afirmou que irá impôr sanções contra Teerã para "bloquear seu financiamento do terrorismo" e que pode retirar os Estados Unidos do acordo nuclear caso ele não seja "corrigido" no Congresso. 

Para os outros países signatários do pacto, os Estados Unidos devem continuar a fazer parte do acordo. A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou em conversa telefônica com Trump nesta semana que o acordo nuclear é "vitalmente importante para a segurança regional".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала