Inteligência francesa diz que Rússia tentará influenciar eleição a favor de Le Pen

© AFP 2022 / KIRILL KUDRYAVTSEV O presidente do partido da Frente Nacional (FN) da França, Marine Le Pen, visita a Praça Vermelha de Moscou antes de uma reunião com o porta-voz estatal da Duma Sergei Naryshkin, em 26 de maio de 2015. AFP PHOTO / KIRILL KUDRYAVTSEV
O presidente do partido da Frente Nacional (FN) da França, Marine Le Pen, visita a Praça Vermelha de Moscou antes de uma reunião com o porta-voz estatal da Duma Sergei Naryshkin, em 26 de maio de 2015. AFP PHOTO / KIRILL KUDRYAVTSEV - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
De acordo com o jornal Le Canard Enchaîne, a Direção-Geral de Segurança Externa da França (DGSE) acredita que a Rússia ajudará Le Pen a vencer as eleições presidenciais deste ano, a despeito das acusações de que teria feito o mesmo com Donald Trump.

Marine Le Pen, candidata presidencial francesa visita Moscou em maio de 2015 - Sputnik Brasil
Efeito Trump? Consultoria diz que pesquisas estão subestimando chances de Le Pen na França
Segundo relatório de inteligência, os russos planejam usar bots (perfis robôs) para postar aspectos positivos de Marine Le Pen na internet. 

O jornal diz ainda que os russos planejam divulgar e-mails comprometedores dos adversários da candidata de extrema-direita, estratégia idêntica à supostamente utilizada com Hillary Clinton. A ameaça estaria preocupando tanto o governo que seria tratada na próxima reunião de Defesa no Palácio Presidencial da França. 

Curiosamente, o Le Canard Enchaîne é o mesmo jornal responsável por expor acusações de corrupção contra François Fillon, anteriormente favorito na disputa presidencial francesa. O escândalo do pagamento de salários a parentes que seriam profissionais fantasmas levou Le Pen ao primeiro lugar as pesquisas presidenciais.

A RTL, maior companhia de rádio e televisão europeia, entrou em contato com o vice-presidente da Frente Nacional, Florian Philippot para comentar as acusações. O político disse que acredita "no Estado para garantir as eleições presidenciais" e destacou um "forte odor de complô vigente".

Saída à francesa

Anteriormente, o ministro da Defesa francês, Jean-Yves Le Drian, disse que a França quer "aprender lições para o futuro" após acusações americanas de influência russa nas eleições de 2016. 

Em outubro, partidos políticos foram convocados pela Secretaria Geral de Defesa e Segurança Nacional a participar de um seminário de "conscientização sobre segurança digital". Só a Frente Nacional, partido de Le Pen, escolheu não aderir à reunião.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала