MSF: é preciso encontrar os responsáveis pelo bombardeio de hospital na Síria

© AFP 2022Este é o hospital da MSF em Maaret al-Nuuman, destruído em 15 de fevereiro de 2016
Este é o hospital da MSF em Maaret al-Nuuman, destruído em 15 de fevereiro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Pablo Marco Blanco, diretor do programa do Oriente Médio da organização Médicos Sem Fronteiras (MSF), conversou com a Sputnik sobre o bombardeio de um hospital da MSF em Idlib, no norte da Síria, que em 15 de abril custou a vida de pelo menos 50 pessoas, incluindo médicos e pacientes.

Sputnik: O senhor possui dados atualizados sobre o bombardeiro? Quantas pessoas morreram o quantas ficaram feridas após o ataque?

Pablo Marco Blanco: conversamos com representantes do hospital algumas horas atrás. Eles calculam pelo menos 50 mortes e que pode haver corpos de algumas outras vítimas sob os escombros, portanto o número de mortes ainda pode aumentar.

Ruínas do hospital apoiado pela ogranização Médicos Sem Fronteiras, destruído em 15 de fevereiro, província de Idlib, Maaret al-Nuuman, Síria - Sputnik Brasil
'Hospital na Síria foi bombardeado por avião da coalizão liderada pelos EUA'
S: Como o senhor avalia os prejuízos causados à infra-estrutura 

do atendimento médico? De acordo com a mídia, o ataque provou a morte de um dos únicos médicos pediatras na região.

PMB: O hospital em Aleppo era especializado em pediatria. A destruição do próprio prédio e, obviamente, a morte de médicos durante o bombardeio, incluindo o único pediatra da cidade, representa um enorme golpe para o sistema de saúde que atendia a população dessa cidade.

S: O Diretor Executivo de MSF, Vickie Hawkins, classificou as consequências do ataque de horrorizantes. Que ações a sua  organização pretende tomar?

Hospital do Médicos Sem Fronteiras bombardeado no norte do Afeganistão no dia de 3 de outubro, em Kunduz - Sputnik Brasil
MSF: EUA censuram relatório oficial sobre bombardeio de hospital em Kunduz
PMB: Pra começar, nós pretendemos reconstruir o hospital. Já entramos em contato com a sua diretoria e informamos que eles podem contar totalmente com o nosso apoio. Mas, além disso, achamos importante encontrar os responsáveis e descobrir que o ataque foi uma ação acidental ou proposital. Nesse sentido, oferecemos ajuda jurídica ao hospital, caso eles decidam realizar investigações independentes e descobrir quem esteve por trás desse bombardeio e de outros ataque a hospitais na Síria, que ocorreram nos últimos meses.

S: Não sua opinião, quanto tempo levarão essas investigações?

PMB: Isso não depende de nós, mas da vontade dos principais agentes do conflito sírio em passar essa situação a limpo. São eles: Damasco, Washington e Moscou. Se a Rússia e os EUA quiserem determinar a identidade dos culpados, então o processo não deverá tomar muito tempo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала