Departamento de Estado: EUA não exigem uma saída imediata de Assad

© Sputnik / Michael Alaeddin / Abrir o banco de imagensPosto de controle do exército governamental na Síria
Posto de controle do exército governamental na Síria - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os EUA não insistem numa renúncia imediata do presidente sírio Bashar Assad, mas ressaltam que ele não pode fazer parte do governo de transição que deverá promover o processo de regulação política do país, declarou nesta segunda-feira, 19, o porta-voz do Departamento do Estado dos EUA Mark Toner.

"Assad não pode ser parte do governo transitório… mas isso não significa que ele deve sair amanhã" – disse Toner em coletiva de imprensa.

Militantes do Estado Islâmico - Sputnik Brasil
Estado Islâmico começa a recuar na Síria
O porta-voz, no entanto, não chegou a informar possíveis prazos para o início ou para a duração  dessa "transição política", dizendo apenas que a mesma "precisa começar imediatamente".

Washington busca a renúncia do presidente da Síria Bashar Assad e tenta evitar apoios de qualquer natureza ao seu governo.

A coalizão, liderada pelos EUA, realiza ataques sobre as posições do Estado Islâmico desde setembro de 2014, sem coordenação com o governo da Síria e sem autorização do Conselho de Segurança da ONU.

Caça russo Su-34 em missão na Síria - Sputnik Brasil
“Ataques aéreos da Rússia na Síria expuseram a mentira dos EUA”
Por outro lado, a Rússia, em 30 de setembro deste ano e por solicitação do presidente Bashar Assad, começou a realizar ataques pontuais às instalações do Estado Islâmico (EI) na Síria.

As tropas do governo sírio lutam contra militantes de uma série de grupos armados rebeldes, entre eles o Estado Islâmico e a Frente Al-Nusra. O conflito já matou mais de 250 mil pessoas e forçou o deslocamento de milhões desde março de 2011, segundo dados da ONU.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала