10:20 22 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    Coronavírus no mundo no final de setembro de 2021 (12)
    187
    Nos siga no

    Resultados preliminares de um estudo desenvolvido pela Universidad de la República (Udelar), no Uruguai, mostraram que o reforço com a vacina da Pfizer, após duas doses da vacina da Coronavac, aumenta em 20 vezes o nível de anticorpos contra a COVID-19.

    O ministro da Saúde uruguaio, Daniel Salinas, avaliou que a pesquisa traz dados promissores sobre a importância do uso combinado de imunizantes do novo coronavírus inativo, como é o caso da Coronavac, com outros de RNA mensageiro, como a Pfizer, reporta o CNN Brasil.

    O estudo teve início em março de 2021 e vai acompanhar os participantes por dois anos, com coletas de amostras de sangue periódicas.

    A pesquisa conta com cerca de 200 voluntários do Instituto Pasteur, um dos responsáveis pelo estudo conjunto com a Udelar, tendo 53 deles tomado as duas doses de Coronavac e o reforço da Pfizer.

    O aumento da contagem de anticorpos foi registrado na comparação entre as segundas e as quartas amostras de sangue coletadas de cada participante do estudo. Uma das amostras foi obtida antes do início da vacinação, enquanto a segunda foi 18 dias após a inoculação da segunda dose. Já a terceira coleta foi realizada aproximadamente 80 dias depois da segunda dose. Por fim, a quarta amostra, de quem recebeu uma terceira dose da Pfizer e que já tinha recebido duas doses da Coronavac, foi coletada após 18 dias, conta o Exame.

    "Hoje é um dia especial, é mais um passo na ciência uruguaia. Era um resultado desejável, mas hoje o confirmamos com a geração de conhecimento nacional. Era fundamental poder avaliar [o efeito da combinação de vacinas]. Estamos semeando coisas que vão nos dar segurança e garantias das decisões que estão sendo tomadas", declarou Salinas, citado pela mídia.

    Uruguai tem 3,5 milhões de habitantes e 72% de sua população já foi vacinada com o programa completo das vacinas Coronavac, Pfizer ou AstraZeneca, enquanto que 24% já recebeu a dose de reforço, informa a Folha de São Paulo.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no final de setembro de 2021 (12)

    Mais:

    Eduardo Bolsonaro, Tereza Cristina e Bruno Bianco testam positivo para COVID-19
    Com vacinação em massa e recuo na ocupação de UTI, Brasil está próximo de vencer COVID-19?
    Conflito de interesses faz equipe que investigava origem da COVID-19 ser dissolvida nos EUA, diz WSJ
    Tags:
    Pfizer, Vacina CoronaVac, reforço, vacinação, COVID-19, estudo, Uruguai
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar