06:48 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    Mundo enfrenta pandemia no fim de abril de 2021 (77)
    204
    Nos siga no

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o imunizante contra o novo coronavírus da farmacêutica norte-americana Moderna em sua lista de vacinas recomendadas para uso emergencial.

    "A OMS incluiu a vacina da Moderna contra a COVID-19 [mRNA 1273] na lista de fármacos para uso emergencial, o que a converteu na quinta [vacina] autorizada pela OMS", diz um comunicado da organização.

    Além disso, os especialistas da OMS recomendam que o imunizante seja aplicado em pessoas maiores de 18 anos.

    "O objetivo é tornar medicamentos, vacinas e diagnósticos disponíveis o mais rápido possível para enfrentar essa emergência [a pandemia de COVID-19]", acrescentou a OMS.

    A responsável pela área de medicamentos e vacinas da OMS, a brasileira Mariângela Simão, disse nesta sexta-feira (30) que é importante ter mais vacinas disponíveis devido a problemas de distribuição de outros imunizantes, inclusive os produzidos na Índia, que é uma das principais fontes de vacinas para a iniciativa COVAX-Facility.

    Hoje (30), o país asiático decidiu restringir as exportações de imunizantes devido à crise de COVID-19 em seu território. A farmacêutica Moderna, por sua vez, anunciou esta semana os planos para expandir sua rede de produção e aumentar sua capacidade para até três bilhões de doses em 2022.

    A vacina da Moderna durante ensaios clínicos
    © AP Photo / Ted S. Warren
    A vacina da Moderna durante ensaios clínicos
    Baseado na tecnologia de RNA mensageiro (mRNA), o fármaco da Moderna tem eficácia de 94,1%, segundo a análise do painel de especialistas da OMS. A vacina, no entanto, apresenta algumas limitações logísticas, já que deve ser armazenada a uma temperatura de entre -25 e -15 graus centígrados. Porém, ainda é possível conservá-la, durante 30 dias, a temperaturas de até 8 graus centígrados. 

    A OMS ainda está avaliando as vacinas contra a COVID-19 dos laboratórios chineses Sinopharm e Sinovac e deverá emitir uma posição sobre as mesmas na próxima semana. Além do fármaco da Moderna, a organização já aprovou para uso emergencial os imunizantes de Pfizer/BioNTech, AstraZeneca — com versões produzidas em laboratórios de Coreia do Sul (SK Bio) e Índia (Instituto Serum) —  e Johnson & Johnson.

    Tema:
    Mundo enfrenta pandemia no fim de abril de 2021 (77)

    Mais:

    OMS e EMA farão inspeção nas instalações onde é produzida a Sputnik V
    OMS: COVID-19 ainda compromete os serviços de saúde essenciais em 90% dos países
    OMS alerta: 'A situação da Índia pode se repetir em qualquer lugar'
    Tags:
    aprovação, COVID-19, vacina, OMS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar