08:41 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Mudança Climática (imagem de arquivo)

    ONU sobre mudança climática: últimos 5 anos foram os mais quentes da história

    CC0
    Sociedade
    URL curta
    322
    Nos siga no

    Nos últimos cinco anos, o ritmo das alterações climáticas aumentou significativamente, concluiu o mais recente relatório publicado pela Organização Meteorológica Mundial (OMM), um órgão das Nações Unidas.

    O relatório, intitulado "O Clima Global em 2015-2019", foi divulgado no domingo (22) para informar a Cúpula de Ação Climática do secretário-geral da ONU, que será realizada em Nova York nesta segunda-feira (23).

    "As causas e impactos da mudança climática estão aumentando ao invés de desacelerar", alertou o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas.

    A lista de notícias ruins sobre o estado do planeta é longa e está detalhada no documento da OMM.

    Temperaturas anormais

    Os sinais alarmantes, como o aumento do nível do mar, a perda de gelo ou fenômenos meteorológicos extremos, todos aumentaram entre 2015 e 2019. Este último ano deverá se tornar o quinto ano mais quente já registrado. Um aumento de 20% nos níveis de gases de efeito estufa elevou as temperaturas médias globais em 1,1 graus Celsius, acima do nível pré-industrial.

    No últimos anos, ondas de calor generalizadas, incêndios que batem recordes, ciclones tropicais, inundações e secas levaram à perda de vidas e colheitas em muitos países.

    O gelo está se derretendo a um ritmo crescente na Antártida e na Groenlândia, tornando-se o principal fator que contribui para a subida do nível do mar.

    Perdas humanitárias e econômicas

    "Como vimos este ano, com efeitos trágicos nas Bahamas e em Moçambique, o aumento do nível do mar e tempestades tropicais intensas levaram a catástrofes humanitárias e econômicas", acrescentou Taalas.

    O secretário-geral da OMM acrescentou ainda que os ciclones tropicais foram a causa das maiores perdas econômicas atribuídas ao clima extremo.

    Nasa divulga aumento das temperaturas do planeta em 2017
    © NASA . NASA’s Scientific Visualization Studio
    Nasa divulga aumento das temperaturas do planeta em 2017

    A temporada de furacões no Atlântico de 2017 foi a que causou mais danos desde que há registo, com mais de 125 mil milhões de dólares de perdas associados ao furacão Harvey.

    A Cúpula do Clima da ONU foi convocada pelo secretário-geral da organização, António Guterres, para incentivar os líderes mundiais a serem mais ambiciosos no combate ao aquecimento global.

    Brasil excluído da cúpula

    O Brasil não irá discursar na cúpula porque, segundo artigo da Folha de S. Paulo, a ONU selecionou outros países que enviaram propostas consideradas mais ambiciosas. Também foram vetados Estados Unidos, Arábia Saudita, Japão, Austrália e Coreia do Sul.

    O diretor de políticas públicas da ONG SOS Mata Atlântica, Mario Mantovani, acredita que a exclusão do Brasil é justa porque o país "não fez a lição de casa". 

    "Acho que a ONU está chamando a atenção do Brasil. Ela não proibiu, a condição para se participar desse evento era ter feito o documento [...] O Brasil perdeu crédito, habilidade e está colocando em risco nossa economia e nossa sociedade com posturas tão obtusas e atrasadas", disse Mantovani à Sputnik Brasil.

    Mais:

    Cientistas advertem sobre consequências arrasadoras de mudança climática
    Milhares poderão morrer nos EUA se o aquecimento global não for travado, afirma estudo
    Líderes assinam pacto contra mudança climáticas durante G20
    Tags:
    Organização Meteorológica Mundial, mudança climática, aquecimento global
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar