00:23 28 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Meninas japonesas vestidas de quimono no Dia da Maioridade (arquivo)

    Político japonês causa indignação ao afirmar que mulheres solteiras são fardo para Estado

    © AP Photo / Shizuo Kambayashi
    Sociedade
    URL curta
    492

    Um parlamentar japonês está enfrentando uma série de reações negativas após dizer que as mulheres do país deveriam se casar e ter filhos, de forma a não se tornarem um fardo para o Estado.

    De acordo com Kanji Kato, político de 72 anos, cada mulher precisa ter ao menos três crianças. Conforme sua teoria, se as jovens não quiserem se casar e ter filhos, acabarão em um asilo mais tarde, dependentes dos impostos pagos pelos filhos de outras pessoas.

    As declarações machistas do legislador foram duramente condenadas. Uma das vozes de maior repercussão foi a da ministra do Interior e parlamentar do Partido Liberal Democrata Seiko Noda, que disse que o seu colega não conseguiria aumentar o número de nascimentos no Japão com esse tipo de comentário.

    A polêmica levantada por Kanji Kato tem como base as baixas taxas de natalidade da nação japonesa. No ano passado, nasceram apenas cerca de 941 mil crianças no país, a menor quantidade desde o início dos registros nacionais oficiais, em 1899.

    Mais:

    Falha em montanha-russa no Japão deixa passageiros pendurados por duas horas (VÍDEO)
    Objeto misterioso cai do céu no Japão e assusta moradores locais (FOTO)
    Geólogos desvendam se 'inverno vulcânico' é ameaça mortal para Japão
    Tags:
    natalidade, misoginia, machismo, Seiko Noda, Kanji Kato, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik