22:03 17 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    083
    Nos siga no

    Thomas Liebelt da cidade de Flensburg quer devolver para a Alemanha um dos aviões mais famosos da era pós Segunda Guerra Mundial – o Boeing 727 Landshut.

    No ano de 1977, o grupo GSG 9 das forças especiais da Alemanha libertou o avião, que foi tomado por terroristas palestinos e que se encontrava no aeroporto da cidade de Mogadíscio. Os terroristas exigiam a libertação dos integrantes da Fração do Exército Vermelho (RAF, em alemão).

    O avião em questão está localizado no Brasil. O filho de Thomas Liebelt também é um piloto amador e trabalha na empresa aérea Lufthansa. Quando seu pai soube que o avião poderia ser descartado, perguntou a ele "você não poderia fazer algo em relação a isso?".

    Liebelt lembra os acontecimentos de outubro de 1977, do assim-chamado Outono Alemão. O avião foi sequestrado por quatro terroristas palestinos entre Palma de Maiorca na Espanha e Frankfurt na Alemanha. Após quatro dias de voos com escalas em Roma, Lárnaca, Dubai, Bahrein e Aden o avião desembarcou na capital da Somália, Mogadíscio. O capitão do avião foi fuzilado por terroristas.

    "Pela manhã disseram no rádio que o Landshut foi libertado e que nenhum dos reféns estaria seriamente ferido, eu senti um grande alívio. Lembro-me deste evento quase tão bem como as notícias sobre a queda do muro [de Berlim]", diz Liebelt à Sputnik Alemanha.

    O empresário gostaria de retornar o avião para Flensburg e restaurá-lo, instalando-o perto do aeroporto.

    Boeing 727 (L) e Boeing 737 (R)
    © AP Photo
    Boeing 727 (L) e Boeing 737 (R)

    A ideia é boa, mas o busílis está desgastado. Apenas a transportação do avião do Brasil para a Alemanha vale um milhão de euros, segundo Liebelt. "É demais para mim", admite o empresário. Portanto ele apelou ao Ministério das Relações Exteriores da Alemanha. Especialistas calcularão quanto custará o transporte. Mas, todavia, é incerto se o Ministério arcará ou não com as despesas.

    Há também um grupo de ativistas que queria expor a aeronave em um museu de Griesheim, cidade alemã. Em geral, o caminho até a Alemanha é longo para o lendário avião. Está tudo muito incerto quanto sua volta ao país de origem.

    Mais:

    Boeing processa Dinamarca por aviões de combate que ela não comprou
    Boeing desenvolve tecnologias laser de alta energia para Força Aérea dos EUA
    Caças da Venezuela interceptam Boeing da Avianca e companhia cancela voos no país
    Tags:
    Brasil, Alemanha, Espanha, Palestina, Mogadíscio, Boeing, Fração do Exército Vermelho (RAF), terrorismo, sequestro, terroristas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar