12:50 31 Março 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    15019
    Nos siga no

    Um caso grave de discriminação religiosa foi registrado nos EUA. Os colegas de uma funcionária descobriram que ela pregava o hinduísmo e começaram lhe chamar de "bruxa" e "satanista". Depois, como resultado das reclamações, ela foi demitida.

    Segundo a mulher demitida, Deborah Schoenfeld, moradora do estado de Maryland, que trabalhava na clínica dentária da Força Aérea dos EUA na cidade de Fort Meade, ela foi submetida a humilhações com base na sua religião.

    No processo judicial apresentado por parte da Fundação Militar de Liberdade Religiosa, diz-se que ela foi mesmo proibida de praticar ioga com o fundamento de que, desta forma "poderia chamar o diabo".

    A investigação realizada pela fundação mostrou que os antigos colegas da mulher lhe proibiram de ouvir música indiana, porque não era cristã, e declararam abertamente que, após Deborah ter sido demitida, em vez da “bruxa” chegou ao escritório uma verdadeira “fada”, ou seja, uma mulher cristã.

    A história provocou a reação na própria Índia. O secretário-geral do Conselho Mundial Hindu (Vishv Hindu Parishad) Surendra Kumar Jain declarou:

    “A discriminação religiosa é só uma parte da cultura americana. Além disso, existe a discriminação racial aberta. Acho que a investigação do caso deve ser realizada, para que o culpado seja punido.”

    Surendra Kumar Jain também sublinhou:

    “A administração não manda na Polícia americana. Existem muitos exemplos de abuso por parte da polícia em relação a asiáticos e afroamericanos. Tudo isso prova a política de duplos padrões da América. Por um lado – eles tentam estabelecer a justiça no mundo, e por outro — não podem colocar as coisas em ordem em casa. Eu acredito que essa mulher deve procurar justiça.”

    Guru Saiyyad Salauddin Pasha comentou a situação à Sputnik:

    “A ioga é uma herança antiga da cultura indiana, útil tanto para a saúde física como para a mental. […] Praticamos ioga só para nós mesmos, isso não afeta os outros. A ioga é um fluxo de energia positiva, e não negativa. Eu não consigo entender o que provocou tal conflito. Aqueles que acreditam que é mau, devem experimentar e ver que não é. Todo mundo pratica ioga atualmente não importa se você é hindu ou muçulmano. Eu mesmo sou muçulmano de nascimento, mas eu toda a minha vida pratico e ensino ioga a outros.”

    Mais:

    Um ano depois, a violência policial continua nos EUA
    Tags:
    religião, Índia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar