09:31 22 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    3484
    Nos siga no

    Rússia está desenvolvendo um fuzil de alcance ultralongo e alta precisão, com munição de calibre da OTAN, capaz de atingir alvos em condições reais de combate a uma distância de 2,5 a 3 quilômetros, disse em entrevista à Sputnik Maksim Baimetov, projetista-chefe da empresa russa ORSIS.

    "Decidimos ir mais longe ainda: criar um fuzil de grande calibre com munição universal da OTAN de .50 bmg (12,7 99 milímetros), que é utilizada em uma ampla gama de armas, desde espingardas até metralhadoras. Este fuzil poderá disparar a uma distância recorde de 2,5 a 3 quilômetros", explicou.

    Baimetov observou que os testes do fuzil devem começar no início de 2022. Segundo ele, esta arma está sendo desenvolvida para exportação, mas o projeto já suscitou interesse das forças de segurança russas.

    O interlocutor salientou que se trata de uma arma para usar em condições reais de combate, que poderá atingir alvos nestas distâncias não em casos isolados, quando o objetivo é estabelecer um recorde, mas de forma regular.

    "Nossos parâmetros indicados sugerem que os franco-atiradores serão capazes de atingir alvos a uma distância de cerca de 2,5 km com disparos precisos e essa será a regra e não a exceção. Atualmente, ninguém na Rússia produz armas de combate desta classe", comentou projetista-chefe.

    Para comparação, Baimetov se referiu à arma mais popular desenvolvida pela empresa, o T-5000 - fuzil de alta precisão com um alcance de 1,6 km.

    O T-5000 foi elaborado com colaboração de atiradores profissionais. Essa arma pode ser utilizada de dia ou de noite e em todas as condições meteorológicas com alta precisão de tiro e a grandes distâncias.

    Mais:

    'Surpresa de Natal': mídia britânica destaca novo míssil do Kalashnikov
    Qual é o futuro das armas laser no campo de batalha? Cientista russo explica
    Kalashnikov inicia desenvolvimento de sistema completamente novo de arma de fogo leve
    Tags:
    fuzil, armas russas, Rússia, tecnologia militar, exportação de armas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar