05:10 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)
    0 160
    Nos siga no

    A EpiVacCorona-N será a quarta vacina russa contra a COVID-19 e vai se juntar a Sputnik V, EpiVacCorona e CoviVac no combate à pandemia do novo coronavírus.

    O Ministério da Saúde da Rússia emitiu uma licença que autoriza as fases 1 e 2 de testes da vacina EpiVacCorona-N, mais um imunizante contra a COVID-19 desenvolvido pelo Centro Estatal de Pesquisa de Virologia e Biotecnologia Vektor (Centro Vektor).

    "Um estudo aberto da segurança, tolerabilidade, reatogenicidade e imunogecidade de uma vacina baseada em antígenos peptídicos para prevenção da COVID (EpiVacCorona-N) com participação de voluntários de 18 a 60 anos (fases 1 e 2)", lê-se no registro de licenças.

    Os testes começaram na quinta-feira (8) e estão programados para terminar em 30 de setembro.

    Em um ponto de vacinação de Karachi, no Paquistão, um profissional de saúde segura um frasco da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19, em 5 de abril de 2021
    © Sputnik / Mazhar Abid
    Em um ponto de vacinação de Karachi, no Paquistão, um profissional de saúde segura um frasco da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19, em 5 de abril de 2021

    Vacinas russas

    Até o momento, a Rússia registrou três vacinas contra o novo coronavírus: Sputnik V, EpiVacCorona e CoviVac.

    Desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, a Sputnik V foi aprovada na Rússia em agosto de 2020, sendo a primeira vacina a ser aprovada por um órgão sanitário no mundo. A Sputnik V já recebeu autorização para ser aplicada em mais de 50 países. A eficácia da vacina em estudos clínicos também está entre as maiores em meio aos imunizantes já aprovados mundo afora. Conforme estudos publicados na revista The Lancet, uma das mais respeitadas do mundo, a Sputnik V demonstrou 91,6% de eficácia.

    A EpiVacCorona, segunda vacina contra a COVID-19 a ser registrada na Rússia, foi criada pelo Centro Vektor e desde março está sendo testada em todas as cepas de coronavírus na Rússia. Dessa forma, espera-se que ela seja ajustada a novas cepas muito rapidamente. Além disso, está sendo desenvolvida uma versão nasal da vacina.

    Por fim, a CoviVac, produzida pelo Centro Federal de Pesquisas e Desenvolvimento de Tratamentos Imunobiológicos M.P. Chumakov, foi registrada em fevereiro desde ano. O medicamento foi desenvolvido na base do coronavírus inteiro inativado, ou "morto". Com a inoculação, o organismo humano reconhece a composição antigênica do vírus, memoriza esta e, no futuro, deverá estar preparado para todas as suas manifestações. A produção foi iniciada em março.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)

    Mais:

    STF decide que estados e municípios podem proibir cultos e missas durante a pandemia da COVID-19
    No 2º pior dia na pandemia, Brasil tem 4.190 mortes pela COVID-19 em 24 horas
    Temendo 4ª onda da COVID-19, Coreia do Sul fecha boates e bares
    Venezuela e Cuba produzirão juntas vacina contra COVID-19
    Tags:
    vacinação, vacina, vacina, Rússia, pandemia, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar