11:36 25 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    0 140
    Nos siga no

    Um tribunal de Moscou ordenou a detenção de um homem russo suspeito de passar informação importante para o Ocidente. Demuri Voronin tinha trabalhado como consultor no parlamento alemão, segundo relatos.

    Na sexta-feira (19), um juiz do tribunal de Lefortovo, Moscou, declarou que Voronin ficaria detido até o fim da investigação de um caso contra ele por alta traição.

    Uma fonte informou que Voronin "é suspeito de transferir informações que constituem segredo de Estado para um dos países da OTAN. Proximamente, existem planos para processá-lo".

    Voronin disse ter trabalhado no Bundestag em Berlim, prestando serviços analíticos na área da energia. "Segundo o próprio Voronin", disse uma fonte, "ele trabalhou lá durante algum tempo, cerca de um ano, prestando apoio consultivo". Por sua vez, Voronin está ainda registrado como diretor de uma empresa de consultoria liquidada, a Resost LLC, com morada em Moscou.

    O caso de Voronin não é único. No ano passado, Ivan Safronov, ex-correspondente dos jornais russos Kommersant e Vedomosti, foi também detido sob acusações de espionagem. Os procuradores acreditam que Safronov estaria passando informações secretas para a República Tcheca, também membro da OTAN. Quando foi detido, ele estava trabalhando para a Roscosmos, agência espacial russa.

    Considerando as semelhanças dos casos, o advogado de Safronov foi questionado nesta sexta-feira (19) se o seu cliente estaria, de algum modo, relacionado com Demuri Voronin, ao qual o advogado respondeu que era improvável que os dois casos estivessem ligados.

    Mais:

    Rússia diz que tomará medidas necessárias caso a OTAN desenvolva uma nova estratégia
    OTAN declara capacidade operacional inicial dos drones multifuncionais RQ-4D da Northrop Grumman
    Rússia testará em 2023 novo míssil hipersônico guiado Gremlin 'impossível de derrubar'
    Tags:
    alta traição, espionagem, parlamento alemão, OTAN, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar