11:41 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    COVID-19 no mundo no fim de novembro (67)
    1130
    Nos siga no

    As três vacinas russas serão produzidas em diferentes fábricas e não haverá concorrência entre elas, declarou neste domingo (29) o diretor-geral do Centro Estatal de Pesquisa de Virologia e Biotecnologia Vektor, Rinat Maksyutov.

    Maksyutov foi um dos palestrantes do evento on-line Science Bar Hopping, realizado neste domingo (29) e que reúne diversos especialistas para falar sobre os principais medos e preocupações das pessoas na Rússia, e como a ciência pode ajudar a solucioná-los.

    "As três companhias que desenvolvem vacinas na Rússia utilizam plataformas tecnológicas fundamentalmente diferentes, [...] todas essas vacinas utilizam diferentes locais de produção, praticamente não há concorrência", disse.

    Ao se referir ao produto da Vektor, a vacina EpiVacCorona, o diretor-geral do centro de pesquisa destacou que, como parte dos ensaios clínicos, o fármaco foi administrado a 50 voluntários maiores de 60 anos.

    Segundo Maksyutov, os testes do imunizante com a participação de voluntários com idades compreendidas entre 14 e 17 anos podem começar em dezembro.

    O dirigente do centro de estudos detalhou que, até o momento, foram produzidas cerca de 35 mil doses de EpiVacCorona. Até o final do ano, serão aproximadamente 50 mil doses.

    Por sua vez, o custo do imunizante da Vektor, na opinião de Maksyutov, será mais ou menos igual ao preço da primeira vacina russa contra o novo coronavírus, a Sputnik V.

    O diretor-geral da Vektor afirmou que em 2021 "o vírus seguirá existindo, mas que a pandemia sairá de cena".

    No dia 13 de outubro, foi registrada na Rússia a segunda vacina anti-COVID-19, a EpiVacCorona, desenvolvida pelo Centro Estatal de Pesquisa de Virologia e Biotecnologia Vektor, com sede em Novossibirsk.

    Tema:
    COVID-19 no mundo no fim de novembro (67)

    Mais:

    UE mantém primeiros contatos com Rússia sobre vacina Sputnik V
    Rússia espera vacinar milhões de pessoas contra a COVID-19 em 2021
    Hungria espera pequenos lotes da vacina russa Sputnik V em dezembro
    Tags:
    ciências, COVID-19, vacina, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar