16:05 20 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    Mundo e COVID-19 no final de agosto (52)
    4321
    Nos siga no

    Segundo ministro da Indústria e do Comércio da Rússia, a vacina contra COVID-19, produzida no país, poderá ser exportada a partir de março de 2021.

    No início de agosto, Rússia se tornou o primeiro país do mundo a registrar uma vacina contra COVID-19, batizada de Sputnik V. A vacina foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleya e atualmente está passando pela terceira fase dos testes.

    A exportação da vacina russa contra o coronavírus pode começar em março de 2021, depois que sua produção na Rússia se estabilizar, disse aos jornalistas nesta sexta-feira (21) o ministro da Indústria e do Comércio, Denis Manturov.

    "Com toda certeza, provavelmente será na primavera [a partir de março no hemisfério Norte] do próximo ano, se falamos de exportação. Será quando já alcançaremos um volume suficiente de produção em nosso país", disse Manturov.

    De acordo com Manturov, as exportações terão início depois do volume de produção de vacinas na Rússia aumentar e depois que os institutos russos, em particular o Instituto Gamaleya, interagirem com seus colegas estrangeiros.

    “É preciso passar por um ciclo de aprovações para tomar uma decisão. Alguns estão prontos para comprar hoje, mas nós não estamos prontos, porque precisamos cumprir nossos próprios objetivos”, acrescentou o ministro.

    Embora alguns países ocidentais tenham expressado reservas sobre a segurança da vacina, já que ela ainda não passou na terceira fase dos testes clínicos, o Ministério da Saúde russo afirma que o medicamento provou ser capaz de produzir imunidade contra o vírus.

    Tema:
    Mundo e COVID-19 no final de agosto (52)

    Mais:

    Vacina russa Sputnik V é uma das mais confiáveis, segundo pesquisa no México
    Desenvolvedor da Sputnik V explica vantagens do uso de adenovírus humanos em vacina
    AstraZeneca tem permissão para realizar testes de vacina contra COVID-19 na Rússia
    Tags:
    vacina, Rússia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar